Gestão

A culpa como competência

Cristina Morgato, Núbia Matos
27 de setembro de 2013

Uma pesquisa da Universidade Stanford mostra que profissionais que se sentem culpados por não terem feito algo (ou feito errado) revelam-se melhores líderes. Conduzido por uma doutoranda e um professor de comportamento organizacional, o estudo envolveu 520 pessoas e três experimentos. Eduardo Ferraz, consultor em gestão de pessoas e autor do livro Vencer é ser você (Editora Gente), explica que quem é muito responsável se sente no dever de fazer sempre o melhor possível e quando isso não acontece se sente culpado. “As pessoas com esse tipo de tendência à culpa, geralmente, são mais meticulosas e organizadas. Por serem extremamente responsáveis, preocupam-se mais com as pessoas e com os prazos”, descreve. Além disso, essas pessoas são muito exigentes com os outros e, sobretudo, consigo mesmas. Por darem exemplo acabam sendo melhores líderes.

 

Compartilhe nas redes sociais!

Enviar por e-mail