A pergunta ainda é a mesma

12 de fevereiro de 2014

Mesmo com tantas informações sobre a importância fundamental de comunicar-se, ou vender o seu peixe por aí, ainda escuto de pequenos e médios empreendedoresperguntas como: “Mas para que preciso de uma agência de comunicação, se já contratei um vizinho desempregado para fazer meu site?”, ou afirmações como “eu mesmo posso criar minha página no Facebook”, entre outros que, tenho certeza leitor, você conhece ou até mesmo se identifica com algum deles.

Ocorre que a comunicação para empresas de pequeno e médio porte tem uma importância capital, e vou dar um exemplo simples para demonstrar isso, na prática: você teria coragem de entregar um cartão de visitas da sua empresa todo sujo e amarrotado para o seu cliente potencial? Pois é exatamente isso que os empreendedores -sejam os menores, ou os que já ganharam mais fôlego e já se estabeleceram como empresas de médio porte- acabam fazendo quando se trata da presença nas mídias digitais, na imprensa, na veiculação de anúncios on-line ou off-line.

Pior: esses empreendedores estão construindo uma imagem muitas vezes equivocada sobre suas marcas. Uma empresa com um serviço ou produto de ótima qualidade pode ser descartada por uma comunicação visual ou escrita pobre – ou até mesmo sequer ser encontrada.

Portanto, por mais que pareça óbvio, os empreendedores ainda precisam ter um olhar mais atento quando se trata de comunicação – é claro que neste contexto, outro ponto vem Í  tona: como ter ou prestar um serviço que ainda é caro para o bolso dos pequenos?

Para matar essa charada, os empreendedores precisam estar atentos para soluções inovadoras que surgem no mercado, e já são específicas para este público – muitos desses serviços já são self service, e estão disponíveis na web. Para poder usufruir deles, é preciso conhecer, ainda que de maneira geral, do que se trata a comunicação para uma empresa. Então aqui, vamos agregar mais uma tarefa Í  longa de lista de lição de casa que o empreendedor precisa cumprir, diariamente, para que seu negócio continue crescendo.

Por outro lado, cabe aos próprios empreendedores da comunicação pensar em soluções escaláveis e que se adaptem Í s novas tecnologias disponíveis. É claro que nesse “admirável mundo novo” há espaço para a prestação de serviços tradicional, mas também há um enorme mercado a ser explorado, em busca de soluções de fácil acesso em termos de custo, escalabilidade e capilaridade. Quem se habilita?

Alvaro de Almeida Junior* é administrador de empresas e sócio-diretor da Intelligenzia.  contato@intelligenzia.com.br

Compartilhe nas redes sociais!

Enviar por e-mail