Alcoa, substitantivo feminino

0
821

A princípio, a Alcoa Alumínio S.A. pode soar como uma organização muito masculina. Integra a Alcoa Inc., líder global na produção de alumínio primário e transformado – e também a maior mineradora de bauxita e refinadora de alumina do mundo. Mas uma iniciativa desenvolvida em unidades brasileiras desmente o preconceito: o Projeto Sintonia recompensa as 50% melhores colocadas em vestibulares de engenharia de instituições-chave no Maranhão e em Pernambuco. Elas ganham subsídio em cursos de inglês e a oportunidade de seguir carreira na companhia quando ainda estão prestes a iniciar a faculdade, ou nos primeiros passos do ensino superior.

Ações como essa já têm transformado o quadro de funcionários das empresas da Alcoa no Brasil. Nos últimos cinco anos, o número de mulheres na empresa aumentou 10%. Nos cargos de liderança, esse avanço foi de 73% no mesmo período e em áreas como o Centro de Serviços Compartilhados, as mulheres já representam metade da força de trabalho.

A ampliação da participação feminina no grupo no Brasil conta com o apoio da Alcoa Women´s Network (AWNB), uma rede internacional de relacionamento para funcionárias que realiza eventos e treinamentos para qualificar e estimular esse público. “As prioridades no Brasil são liderança, desenvolvimento pessoal, eventos de networking, programas de mentoring e atendimento à comunidade”, afirma Vânia Akabane, diretora de RH da Alcoa América Latina & Caribe.

A rede americana foi criada em 2001 por um grupo de executivas voluntárias. Em 2005, um braço brasileiro do programa também foi constituído para catalisar o recrutamento, o desenvolvimento, a promoção e a retenção de mulheres líderes. Isadora Costa é um exemplo de sucesso no aproveitamento desses incentivos. Ela ingressou na empresa em 2010, como estagiária, por meio do Projeto Sintonia, e hoje é engenheira de tecnologia e processo na unidade de Alumar (MA). “Tenho vivenciado experiências e desafios que contribuíram de forma decisiva para o meu desenvolvimento”, diz a engenheira. Sua adesão à companhia vai além do apreço pelas oportunidades internas de treinamento e promoção: “Os valores da companhia nos transmitem o sentimento de que respeito, bem-estar, saúde e solidariedade são importantes para o sucesso do negócio – isso motiva os funcionários e reflete nos resultados”.

Já de olho na escassez de talentos, a Alcoa lançou o Projeto Menina-Mulher. A proposta objetiva lapidar e incentivar o desenvolvimento intelectual e profissional das adolescentes no ensino médio, com aulas de inglês, orientação vocacional e até assessoria na preparação de currículos. E mais: as executivas da mineradora têm bônus vinculados ao alcance de metas e todas as funcionárias têm direito à licença-maternidade remunerada estendida de seis meses.

Após esse período, elas podem amamentar nas unidades da empresa que contam com salas de amamentação.

Boas práticas
Uma série de iniciativas, como os programas Menina-Mulher e Sintonia, incentivam o desenvolvimento profissional de mulheres e ampliam a pluralidade da companhia.

 

[fbcomments]