Carona no mesmo canal

    0
    220
    Zardo, da Abradif: melhora no desempenho

    Capacitar colaboradores e transmitir a mesma informação de maneira segura, customizada e, principalmente, uniforme às diversas filiais situadas em cidades distantes são objetivos que vêm motivando a criação de TVs corporativas setorizadas. Um exemplo é a idealização da TV Fenabrave, o canal exclusivo para a comunicação e o crescimento do setor automotivo, promovido pela Federação Nacional da Distribuição de Veículos no Brasil. A TV foi baseada na troca de informação entre concessionárias e a promoção da integração, capacitação e atualização constantes tão importantes nesse mercado. Além do conteúdo gerado e oferecido pela entidade, o canal conta com conteúdo oferecido em parceria com a Dtcom, empresa paranaense de capacitação corporativa a distância.

    Na Associação Brasileira dos Distribuidores Volvo (Abravo), o objetivo principal da utilização da ferramenta, como explica o presidente Francisco Garcia, é capacitar ao máximo os colaboradores das 83 lojas e utilizar a TV como meio de comunicação interna. Todavia, a estratégia é mais ousada. Além de todas as concessionárias possuírem as instalações de recepção dos cursos, a Volvo também vai gerar programas direcionados e específicos. “Para isso, construímos um auditório com um estúdio, dentro da fábrica, onde estamos produzindo e emitindo programas para conseguir mais rapidamente atingir a rede em todo o Brasil”, diz.

    Mais informação
    Garcia enfatiza que a união das transmissões exclusivas da Rede Volvo ao conteúdo da TV vai permitir uma maior abrangência de capacitação e informação sobre as ações da empresa. “A ideia é que, no dia a dia, tenhamos informações sobre operações, produtos, novas técnicas e procedimentos transmitidos pela TV. Hoje, essa comunicação é realizada via e-mails para os gestores, que posteriormente repassam essa informação. Ou seja, atualmente, há um delay entre o início do processo, até chegar efetivamente a todos os envolvidos”. A TV corporativa vai possibilitar à Volvo disparar informações ao mesmo tempo, para todas as unidades da empresa.

    Um dos referenciais da estruturação da TV Volvo são os altos parâmetros de avaliação dos colaboradores, que ajudam a produzir os conteúdos, e facilitam o aproveitamento dos cursos. “Levamos um tempo para construir o estúdio. O primeiro semestre foi de preparação e o programa de estreia foi gerado dia 20 de julho. Evidentemente, os outros cursos da TV já vinham sendo transmitidos; contudo, pretendemos direcionar esse conteúdo de acordo com nossa indicação e plataforma de competências. O importante é que estamos avançando além da ferramenta e beneficiando cerca de 5 mil funcionários”, conta Garcia.

    Quem também adotou a ferramenta foi a Associação Brasileira dos Distribuidores Ford (Abradif). Sergio Zardo, presidente da entidade, diz que o principal motivo foi a busca pela melhora no desempenho dos colaboradores que, em grande parte, são treinados nas concessionárias, tanto para vendas e pós-vendas quanto para a área técnica. “Esse procedimento já era adotado normalmente, mas com a criação da TV Abradif houve a possibilidade de implementar cursos para uma série de funções que não tinham treinamentos específicos, como recepção de serviços e de vendas, e uma série de outros cursos que não são previstos na grade da Universidade Ford. Por isso, nos ligamos à TV corporativa desde dezembro de 2010.” 

    Zardo conta que a entidade, para obter a adesão da maioria da rede, e “ligá-la” à TV, realizou um plano para instalar antenas e equipamentos de recepção nos 300 pontos de venda distribuídos pelo país. O custeio desse aparato, diz o executivo, será bancado por doze meses pela Abradif, o que significa custo zero para os revendedores. Os cursos, sejam da Abradif ou da TV Fenabrave, são oferecidos em diversos horários, dentro das lojas. A adesão é de cerca de 40% dos funcionários, que são acompanhados por um coordenador, que pode ser alguém do RH ou da área de treinamento. “Todos querem participar, mesmo porque os produtos, a cada ano, se renovam tecnologicamente, e ninguém quer ficar defasado.”

    Aprimoramento na gestão
    Zardo relata que os bons resultados do uso da TV Abradif aconteceram, principalmente, nas áreas administrativas, envolvendo as gerências e a contabilidade: houve um aprimoramento efetivo na gestão de impostos, na declaração de imposto de renda, e um grande aprendizado de produção de conteúdos. Foram criadas diversas situações específicas para a marca Ford, principalmente em relação a lançamentos de produtos e às modificações entre eles. Outro ponto de destaque, segundo o executivo, é que a TV conseguiu colocar a Ford dentro de um processo de comunicação em rede. “Realizamos um evento com a diretoria e a gerência de vendas falando para toda a rede, mostrando, de uma única vez, toda a campanha publicitária que vigora de julho a outubro”, finaliza.

    #Q#

    Na mesma sintonia

    Para utilizar uma TV corporativa obtendo o máximo de produtividade, a gerente comercial da Dtcom, Luciana Precaro, afirma que o segredo é uma comunicação eficaz. “O importante é que os clientes tenham métodos e processos que passem a todos os seus colaboradores as várias possibilidades que a TV oferece.” Outra dica que a executiva entende como fundamental é oferecer conteúdos de interesse do setor e que foquem o desenvolvimento do colaborador e das concessionárias. Segundo ela, os conteúdos voltados para gestão e para vendas são os mais importantes, dado que é confirmado por pesquisa realizada pela Fenabrave em suas filiadas. “Essa pesquisa identificou o perfil dos colaboradores e das redes de concessionárias, e até mesmo os interesses de aprendizado. Assim desenvolvemos conteúdos de acordo com essa demanda.”

     

    SHARE
    Previous articleEntre novos e velhos
    Next articlePor falta de oportunidades
    [fbcomments]