Cinco pilares

    0
    931

    DESCOBRIR
    Coordenado por Andrea Huggard-Caine, o eixo trata de identificar o que vai mudar ou influenciar o futuro das organizações, do trabalho e da gestão de recursos humanos. “Descobrir é olhar para outro ângulo e ter perspectivas diferentes ou enxergar a mesma coisa por outra ótica. Devemos descobrir o que não está aparente na gestão de RH”, diz Andrea.

    Principais temas: as tendências que o RH deve monitorar e os assuntos que terão maior impacto no trabalho nos próximos anos; e a explosão das mídias sociais no mundo corporativo.

    ATRAIR
    “Nosso objetivo é levar ao público, de forma equilibrada, conceitos e práticas relacionados ao processo de atração de pessoas para as organizações, baseados na seguinte questão: o que faz com que as pessoas se predisponham a aderir ao ´novo´, a gerenciar suas transições de vida e a se reposicionar no mundo do trabalho? Sempre, claro, sob o prisma de como as empresas criam atrativos para os diversos níveis organizacionais”, diz o coordenador do eixo e colunista de MELHOR, Marcos Nascimento. “No fundo, nossa proposta é trazer uma bela discussão sobre o que dá significado às pessoas em suas decisões de carreira.”
    Principais temas: executive search; novas formas de trabalho; e gestão das diferentes gerações.

    ALINHAR
    Na Era do Capital Humano, o alinhamento se faz pela inteligência, não pela hierarquia. Quem afirma é Cleo Wolff, coordenadora do eixo Alinhar. Para ela, não há como as organizações serem excelentes se não houver integração, compromisso, engajamento, protagonismo e equilíbrio. “O congressista deve saber quais são e onde estão os gaps que separam suas práticas vigentes dos requisitos do novo. A linha central parte do conhecimento das megatendências mundiais que estão afetando o papel da gestão de pessoas e acelerando e transformando a maneira pela qual o mundo trabalha”, diz.

    Principais temas: o alinhamento sob o olhar de um CEO;  e a coerência entre os objetivos profissionais e pessoais do indivíduo.

    REALIZAR
    “O eixo quer trazer para o CONARH elementos para que profissionais de RH e líderes em geral tenham um novo olhar sobre como trabalhar com e através de pessoas”, diz o coordenador do eixo Cezar Tegon. “Vamos reunir conteúdo que assegure concretude ao discurso do novo, com palestras, cases e oficinas que demonstrem o que se espera na prática da gestão de pessoas. Ou seja, trazer uma janela para o novo nas questões essenciais de gestão de pessoas, ressaltando a necessidade de realizar.”
    Principais temas: a interdependência entre competência, desempenho, indicadores e recompensa no ciclo da realização; o fazer acontecer na gestão de pessoas; e o papel da liderança de uma organização como motor das realizações.

    AVANÇAR
    Coordenadora do eixo Avançar, Rosa Bernhoeft ressalta que avanços não são rupturas, mas, sim, evolução. Por essa razão, diz ela, o eixo tem a missão de estimular os participantes do congresso a perceberem RH como uma atividade dinâmica, que tem os olhos voltados para o futuro, posicionando-se proativamente diante de novos caminhos, possibilidades, métodos, tecnologias, desafios e significados, frutos da evolução da sociedade.

    Principais temas: assessment; a evolução da neurociência e sua relação com o mundo do trabalho; o futuro da competitividade e seus impactos nas relações; e as ações objetivas na construção da identidade corporativa.

    [fbcomments]