Competência em destaque

Leyla Nascimento
4 de novembro de 2013

No fim do ano passado, uma pesquisa feita pelo Grupo Empreenda revelou quais eram as ideias mais ultrapassadas da gestão empresarial e que estavam sendo enterradas pelos executivos. Dentre os entrevistados, a maioria apontava como principais paradigmas fadados ao esquecimento o que de o cliente é responsabilidade apenas das áreas de marketing e de vendas e o de que o maior concorrente de uma companhia é uma outra organização que ofereça produtos e serviços semelhantes.

O mesmo estudo mostrava, ainda, que dentre os principais sintomas que atormentam as empresas estavam a presença de pessoas desmotivadas ou infelizes por não conseguirem desenvolver seu potencial ou pela falta de um significado para o trabalho, e a conhecida preocupação com a retenção de talentos.

Esses resultados vêm confirmar que as competências que o profissional de RH deve ter aumentaram de número e de importância. Cada vez mais esse gestor exerce sua liderança além dos limites da empresa. Ou deveria se preocupar com isso.

Acionistas, fornecedores e clientes, por exemplo, devem fazer parte do radar do RH. Identificar esses e outros stakeholders e utilizar bem os frutos da relação com eles são tarefas antes inimagináveis para muitos, mas hoje imprescindíveis para aqueles que querem contribuir efetivamente para a longevidade da organização em que atuam.

Da ampliação do escopo de atuação da área de recursos humanos – e não apenas do aumento do que fazer, mas, também, da qualificação do seu trabalho, dotando-o de um sentido estratégico crescente – teremos como consequência, também, uma gestão mais fortalecida. Digo “também” porque os benefícios advindos dessa nova postura são vários. Entender as expectativas dos clientes e “levá-los” para dentro da empresa ajuda a criar o alinhamento e a fortalecer o sentimento de propósito entre os colaboradores. Saber o porquê de um produto ou de um serviço e ver o resultado de cada um deles na expectativa plenamente atendida de um cliente motiva, gera comprometimento e engajamento.

Pensar além das fronteiras da área e saber interagir e trazer para a gestão esses novos elementos é um caminho sem volta para recursos humanos. É uma competência a ser destacada cada vez mais.

 

 

 

Leyla Nascimento
Presidente da ABRH – Nacional

Reprodução

 

Compartilhe nas redes sociais!

Enviar por e-mail