Comprometidos com o resultado

    0
    224

    O melhor lugar para estar. É com essa proposta ou, melhor, esse slogan, que a multinacional e centenária UPS, empresa de entrega expressa, atua no Brasil desde 1989. Fundada em 1907, nos EUA, a companhia opera em mais de 200 países e territórios e possui 408 mil funcionários distribuídos pelo mundo – cerca de 600,
    no Brasil.

    Há quatro anos na presidência da subsidiária brasileira está Nadir Moreno. Formada em letras e direito – “sempre estudei na área de humanas pensando em trabalhar em RH” -, ela traz na bagagem diferenciais de fazer inveja a qualquer profissional que almeja uma carreira de sucesso. Antes de se tornar uma mulher na presidência de uma multinacional de característica masculina, Nadir percorreu uma trajetória de onze anos no RH na própria UPS, área da qual pouquíssimos executivos saem para ocupar a cadeira da presidência.

    Seu diferencial? A destreza em correlacionar pessoas e negócios na busca de resultados, que vem da afeição por desafios e, principalmente, pela área de RH. “Entrei na UPS há 18 anos. Na época, até por ser uma empresa pequena, não havia o departamento de recursos humanos, mas sim o departamento de pessoal. Em 1999, os executivos de Atlanta, na Geórgia, nossa headquarter, decidiram vir ao Brasil para dar início ao departamento de RH. Pedi a oportunidade para implementá-lo”, conta.

    Foi assim que, depois de cinco anos trabalhando na área financeira, ela assumiu o cargo de supervisora de RH e departamento jurídico, passando a gerente em 2001. A responsabilidade de gerenciar as duas áreas, diz ela, foi um diferencial e uma oportunidade. “Todas as decisões estratégicas de RH exigem uma aprovação do departamento jurídico. Eu trabalhava na origem do problema para, em conjunto com a área de engenharia e a gerência de cada departamento, encontrar soluções que evitassem a repetição do problema no futuro. Com isso, considero que fui um RH estratégico para o negócio.”

    Dadas as diferenças legais e culturais entre EUA e Brasil, Nadir teve como um desafio a necessidade de “tropicalizar” ou, melhor, adaptar e ajustar os processos de RH vindos da matriz, de forma a cumprir os objetivos corporativos sem ferir ou colocar em risco a operação local. Uma atuação reconhecidamente bem-sucedida: em 2005, foi transferida para Miami, onde está a matriz da região das Américas, a fim de implementar os programas de gestão de pessoas aplicados aqui nos países da América Latina em que a empresa marca presença.

    Entre eles, a executiva destaca o Employee Relations Index, pesquisa de avaliação do clima organizacional que abre a oportunidade para todos os funcionários expressarem suas opiniões e ajudarem a fazer da UPS “o melhor lugar para estar”. “Importada” de Atlanta, a pesquisa tem como diferencial prévias locais, que dão um panorama dos problemas específicos da empresa no país. Além disso, os resultados são divididos por departamentos e cada um deles elege um “líder” para trabalhar com a empresa, a gerência ou os próprios funcionários nas ações que vão promover melhorias no ambiente de trabalho. O projeto também dá a oportunidade para que esse líder do grupo ganhe maior exposição. Um exemplo: a atual diretora de RH teve seu potencial identificado para o cargo quando foi líder do seu departamento nesse projeto.

    O programa, garante Nadir, fortaleceu o relacionamento e a confiança dentro da empresa. E os resultados são dignos de comemoração: a primeira pesquisa, em 1999, apontou 53% de satisfação dos colaboradores, índice que cresceu ano a ano até atingir 95% em 2008. “Dependo 100% dos funcionários. Retê-los e engajá-los é fundamental”, frisa. E, se essa é uma das estratégias para os resultados, deu certo: na região das Américas, onde a UPS marca presença em mais de 27 países, a subsidiária brasileira registra o terceiro melhor resultado da companhia, perdendo apenas para o Canadá, no topo do ranking, e o México. “A maioria dos nossos funcionários está na empresa há mais de dez anos”, finaliza, orgulhosa, a presidente, que apresentará o tema Pessoas engajadas superando metas, no dia 18 de agosto, na Sala de Casos do CONARH 2010.
    (Thais Gebrim)

    [fbcomments]