CONALIFE: painéis vão debater a contribuição das mulheres para um mundo colaborativo

Além dos painéis, o 3º CONALIFE também irá homenagear com o troféu Personalidade CONALIFE a socióloga Eva Blay

0
228

Promovido pela ABRH-SP (Associação Brasileira de Recursos Humanos – Seccional São Paulo), em parceria com a ONU Mulheres, o CONALIFE – Congresso Nacional de Liderança Feminina terá sua terceira edição realizada em 24 de maio, no Hotel Unique, na capital paulista. A partir do tema central “Liderança Feminina para um Mundo Colaborativo”, os conferencistas convidados vão debater, em três painéis, as formas de contribuição das mulheres, como profissionais, cientistas e empreendedoras, para o novo mundo que já começou a ser desenhado.

Além dos painéis, o 3º CONALIFE também irá homenagear com o troféu Personalidade CONALIFE a socióloga Eva Blay, uma das pioneiras no estudo dos direitos das mulheres no Brasil. Professora titular da Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas (FFLCH) da Universidade de São Paulo, foi senadora da República e atualmente coordena o Escritório USP Mulheres, responsável pela proposição e implementação de iniciativas e projetos voltados para a igualdade de gêneros.

Nos anos anteriores foram homenageadas com o mesmo troféu a empresária Luiza Trajano, da rede Magazine Luiza, em 2016, e a ministra Cármen Lúcia, presidente do Supremo Tribunal Federal (STF) e do Conselho Nacional de Justiça (CNJ), no ano passado.

Os Painéis

Painel 1 – O Futuro É Agora. Estamos Prontas? – Estamos a bordo de uma revolução tecnológica que transformará fundamentalmente a forma como vivemos, trabalhamos e nos relacionamos. Esse novo mundo que se desenha tem como traços mais velocidade, interdependência e complexidade. Nele, as relações são horizontais e os modelos hierárquicos perdem força, as decisões são tomadas mais por intuição e pelo coração, e as resoluções de longo prazo não funcionam. A mudança de perfil de mão de obra será drástica. A Inteligência Artificial vai substituir pelo menos 50% de nossas atividades, sendo que as tarefas operacionais e repetitivas tenderão a ser eliminadas mais rapidamente. Por trabalharem melhor em equipe e de forma mais colaborativa, por terem como característica a capacidade de comunicação e de liderar de forma inclusiva, entre outras, as mulheres têm um estilo de liderança que parece combinar mais com esse futuro. O painel vai discutir tais características e suas contribuições para um mundo cada vez mais colaborativo e tecnológico.

Conferencistas: André Perfeito, economista-chefe da Gradual Investimentos; Cristina Palmaka, presidente da SAP Brasil; Sandra Boccia, jornalista, diretora das marcas Época Negócios e Pequenas Empresas & Grandes Negócios (PEGN); e para moderador, Rodrigo Forte, empreendedor, consultor e sócio-fundador da EXEC – Executive Performance.

Painel 2 – Mulheres nas Ciências – Ainda não atingimos, no Brasil, 50% de mulheres formadas nas carreiras expressas pelo acrônimo STEM (em inglês), usado para designar as quatro áreas do conhecimento: Ciências, Tecnologia, Engenharia e Matemática. Além disso, as mulheres nessas áreas enfrentam a questão da invisibilidade. Quando um homem e uma mulher trabalham em um mesmo projeto, é ele quem normalmente tende a ganhar o reconhecimento. Inspirar mais mulheres a ambicionar carreiras nessas áreas e as que já estão a terem a voz reconhecida será fundamental para assegurar que elas usufruam os trabalhos a serem criados no futuro, já que somente um percentual pequeno das carreiras hoje existentes permanecerá. As conferencistas do painel vão debater como promover essa mudança e também o quanto a participação feminina nesse universo assegurará a criação de soluções que levem em conta as necessidades das mulheres.

Conferencistas: Miriam Harumi Koga, medalha de ouro na IX Olimpíada Latino-Americana de Astronomia e Astronáutica (OLLA), realizada no ano passado, no Chile; Sônia Guimarães, professora-adjunta de Física no Instituto Tecnológico de Aeronáutica (ITA); e Thaisa Storchi Bergmann, professora-associada no Departamento de Astronomia do Instituto de Física da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS)

Painel 3 – Empreendedorismo e Colaboração – Vários estudos indicam que as mulheres são as mais interessadas em começar um negócio. Além disso, para muitas delas, ganhar dinheiro e melhorar o mundo podem andar juntos. Nesse contexto, empreender virou sinônimo de realizar, e colaborar corresponde a agir coletivamente em prol de um objetivo comum. Apresentar soluções que transformem o mundo demanda parcerias e colaboração, o que cria um mercado rentável, promissor e em crescimento (segundo estudo da PwC, a economia colaborativa movimentará mundialmente 335 bilhões de dólares até 2025). O painel apresentará histórias de empreendedoras que dividirão com o público suas trajetórias, sucessos e desafios no mundo colaborativo, e discutirá se as pessoas empreendem porque desejam, por necessidade ou pelos dois motivos, entre outras questões.

Conferencistas: Adriana Barbosa, empreendedora e presidente do Instituto Feira Preta; Iana Chan, jornalista, fundadora da PrograMaria. Para moderador, Hamilton da Silva, empreendedor social, fundador do Saladorama

O congresso terá ainda as participações, na abertura, do presidente da ABRH-SP, Theunis Marinho, da representante do Escritório da ONU Mulheres no Brasil, Nadine Gasman, e do presidente do Grupo Boticário, Artur Grynbaum.

[fbcomments]