Gestão

Construir uma catedral

Por que você faz o que faz na sua empresa?

Marcos Nascimento
5 de dezembro de 2017
Marcos Nascimento / Crédito: Divulgação
Marcos Nascimento é partner na Manstrategy Consulting / Crédito: Divulgação

Uma vez li a seguinte frase, atribuída ao filósofo chinês Confúcio: “Escolha um trabalho que você ame e você nunca terá de trabalhar um dia em sua vida”. Confesso que fiquei intrigado com a provocação. Depois, argumentando sobre a questão da felicidade e suas formas de manifestação, me deparei com a definição que mais se aproxima do que julgo apropriado, principalmente quando conectamos essa questão ao mundo organizacional: “Felicidade é o encontro da razão e da emoção em uma atividade que lhe dê prazer”.

Quando conecto as duas citações, creio que temos algo que faz sentido analisar no mundo corporativo: a excelência, que só existe por ser fruto de um trabalho bem feito, com propósito, significado e leveza! Se buscarmos conceitos relacionados à felicidade nas organizações, encontraremos nomes como Paul Evans, Simon Sinek e Srikumar Rao, entre outros. Mas há uma linha mestra nas provocações de praticamente todos que dissertam sobre o tema. A presença de significado, de responder de forma ágil e precisa a pergunta: por que você faz o que faz? Ou seja, não é a resposta ao que e ao como você faz que mostra o quanto você está feliz, leve e saudável fazendo seu trabalho. É justamente a resposta ao “porquê” você faz que traz a definição mais aguda do que é felicidade.

A reflexão que temos de provocar, no âmbito organizacional, é como, realmente, gerar um ambiente que propicie o “tomar posse” do que se está fazendo, de tal forma que o resultado seja “apenas” consequência de uma sequência de atos disciplinados, concatenados, e alinhados a algo maior, para um indivíduo, para um grupo e para uma instituição. Ter pessoas felizes em uma organização tem a ver com a execução excelente dos propósitos estratégicos, que irão, na ponta da linha, atender às demandas e expectativas de todos os stakeholders.

Felicidade é coisa séria, traz resultados, agrada corações, ouvidos, mentes e, por que não, bolsos! Quero terminar com uma alegoria conhecida: “Certa vez, em um canteiro de obras, uma pessoa caminhava observando o trabalho dos pedreiros. Em determinada área, muitos realizavam o mesmo trabalho. Curioso, decidiu perguntar ao pedreiro que se encontrava a sua frente o que ele fazia. ‘Estou apenas colocando um tijolo sobre o outro’, respondeu. Não satisfeito com a resposta, continuou caminhando pela construção até parar próximo a outro, que desempenhava a mesma função do anterior. ‘Estou construindo uma parede’, disse. Instigado pelos pontos de vista tão distintos para a mesma função, resolveu se dirigir a um terceiro pedreiro, que cantava desconhecidas canções enquanto subia rapidamente sua parede. ‘Estou erguendo uma catedral’, respondeu, com um sorriso de orgulho estampado no rosto”. Pergunte-se: o que você está fazendo: colocando tijolos, construindo uma parede ou erguendo uma catedral? A resposta dará a nítida posição sobre seu propósito, o porquê de você fazer o que faz e, claro, o quanto está feliz fazendo isso.05

Compartilhe nas redes sociais!

Enviar por e-mail