Gestão

Desafio mais relevante

Leyla Nascimento
12 de novembro de 2014
Leyla Nascimento / Crédito: Divulgação
Leyla Nascimento é presidente da ABRH-Nacional

Dentre as inúmeras reflexões e lições que Dave Ulrich nos dá, uma diz respeito à marca da liderança. Para ele, todo poder de uma marca vem de fora para dentro. No caso do líder, isso não é diferente. Não adianta apenas o líder olhar para si mesmo em busca de seus valores e fortalezas diante de uma crise que porventura surja no caminho da empresa.

Esse ponto de vista focado no interior é importante, mas não contribui para sustentar a marca da liderança. É o olhar para fora que ganha importância. O líder deve pensar de fora para dentro, deve se perguntar como a crise vai afetar as demais pessoas, o que elas vão demandar dele. A partir dessa compreensão que o líder reforça por que a liderança é necessária, para que é precisa e como ser colocada em prática, gerando exemplo e comprometimento.

Colocar as pessoas no foco da liderança, como ressalta Ulrich, é um bom exemplo de como elas, tão incensadas como principal ativo das empresas, devem de fato sair do campo das ideias e partir para o mundo real. Nesse sentido, nada mais propício do que o tema do Congresso Mundial de Recursos Humanos, promovido, em outubro, no Chile, pela World Federation of People Management Associations (WFPMA) em parceria com o Círculo Ejecutivo de Recursos Humanos (CERH), entidade anfitriã.

Volver al Origen: La Persona foi o mote adotado para destacar uma necessidade universal de colocar novamente as pessoas no centro da gestão em todas as esferas organizacionais: governo, instituições públicas e empresas privadas. Esses atores sociais formulam políticas, estratégias e métricas para criar desenvolvimento, crescimento e eficiência como contribuição à sociedade, às pessoas. No entanto, percebemos que em muitos campos as pessoas não que fazem parte desses objetivos ou dessas estratégias.

Por meio do trabalho da ABRH-Nacional junto aos gestores de pessoas em todo o país, esperamos ajustar o foco das empresas, governos e demais entidades para o que realmente vale a pena: o ser humano. Estivemos em uma comitiva com 73 brasileiros em terras chilenas, todos ávidos e dispostos para levar o tema adiante. Estamos certos de que , em uma perspectiva ampla que, voltar à pessoa deveria ser uma tendência e um dos desafios sociais mais relevantes do mundo.

Compartilhe nas redes sociais!

Enviar por e-mail