Dia a dia transparente

0
356

A Saraiva de Rezende, em seus 16 anos de atividades, construiu empreendimentos imobiliários que vão de casas a clínicas, obras para a Prefeitura Municipal de Cascavel, cidade que a abriga, para o Banco do Brasil nos estados de Santa Catarina e Mato Grosso do Sul, em suma, sua assinatura está por trás de um vasto portfólio de imóveis.

Mas não foram apenas os empreendimentos que construiu que a fizeram conquistar o direito de figurar como destaque nesta edição da revista MELHOR. A companhia foi reconhecida porque, simultaneamente aos projetos que sua equipe de obras tirou do papel, estabeleceu sua gestão de recursos humanos com imparcialidade.

É interessante como esse substantivo é colocado em prática e percebido pela equipe na rotina de trabalho. Para a psicóloga organizacional Alyne Nogueira Teixeira, há três anos na empresa, ter uma política clara de admissão, promoção e respeito igualitário entre todos compõe as bases para o ambiente imparcial que impera na construtora. “Ser imparcial é não criar favoritismo, é sermos justos com as necessidades da equipe, ao mesmo tempo que os tratamos com igualdade e buscamos equilíbrio no reconhecimento.

Para nós, ela acontece ainda nos procedimentos para admissão e promoção, que são respeitados e conhecidos por todos”, afirma.

Para que um funcionário seja promovido, o gestor direto faz uma avaliação de desempenho na qual a promoção ocorre se o candidato atingir determinada pontuação em avaliação de comportamento e conhecimentos técnicos. “Dessa forma, a empresa evita situações nas quais uma promoção aconteceria apenas para colaboradores mais próximos dos gestores”, esclarece a psicóloga. Outro fator relevante são os canais pelos quais a equipe entra em contato com a gestão. Eles são fundamentais para a manutenção do diálogo direto que existe na empresa.

A construtora mantém a comunicação por meio de reuniões frequentes, feedbacks (que acontecem do colaborador para o gestor e do gestor para o colaborador), além de ferramentas como pesquisa de clima, coaching e questionários. “Caso a necessidade de comunicação tenha algum motivo pessoal envolvido, ela pode ser feita por telefone, e-mail ou como o colaborador se sentir mais à vontade”, diz Alyne.

Jaqueline Lasarini, gerente administrativa, há 13 anos na empresa e há oito no cargo, conta que o resultado reflete a verdade do ambiente de trabalho na construtora. “Aqui não há benefícios a fim de agradar alguém sem que isso reflita a realidade, tanto isso é reconhecido pela equipe que também recebemos uma ótima pontuação na categoria orgulho”, compartilha, acrescentando: “A pesquisa busca tratar do conceito de maneira firme; se tivemos uma avaliação boa neste sentido, já fizemos diferença”.

Boas práticas

> Avaliações (desempenho, experiência, funcionário do mês, de promoção)

> Procedimentos claros de admissão e promoção

> Caixa de sugestões

> Feedback

> Coaching

> Reuniões frequentes

 

[fbcomments]