Elas pensam nas pessoas

0
563

Pesquisa da consultoria Aon Hewitt, especializada em RH e gestão de benefícios, revela quais são as 30 organizações brasileiras que apresentam o melhor desempenho na gestão de pessoas (de um total de 144 participantes e mais de 689 mil colaboradores entrevistados).

Presente na lista há cinco anos, o Laboratório Sabin, maior laboratório de análises clínicas do Centro-Oeste, foi destaque na pesquisa entre as empresas de 1.001 a 2.000 trabalhadores – em outras categorias, venceram Embraer, Embracon, Coopercampos e Pormade. A diretora executiva do Sabin, Janete Ribeiro Vaz, atribui o resultado ao desempenho das lideranças, responsáveis por assegurar que todos os colaboradores estejam alinhados às suas funções. “Além disso, todos precisam saber da sua importância para o desenvolvimento do negócio. Para isso, é preciso criar uma gestão participativa, com ferramentas de comunicação eficientes”, explica.

Confira alguns índices do laboratório:
> 92%  de engajamento
> 96% dos profissionais confiam na capacidade de liderança da diretoria
> 95%  consideram gratificante o relacionamento com clientes
> 94%  dos colaboradores gostam das atividades diárias
> 93%  acreditam no comprometimento da empresa em criar um ambiente estimulante para a diversidade
> 91%  consideram que os processos de trabalho permitem a produtividade

A credibilidade conquistada pelo Sabin junto aos colaboradores é reflexo do investimento de 15% do faturamento anual da empresa na área de gestão de pessoas. Segundo a diretora técnica da empresa, Sandra Soares Costa, o recurso é aplicado em práticas e benefícios para desenvolver, desafiar, reconhecer, recompensar e comemorar. Para a superintendente de RH, Marly Vidal, essa política de gestão de pessoas favorece o engajamento e proporciona a felicidade dos colaboradores. “Acreditamos que os resultados são alcançados quando existe equilíbrio entre a realização de sonhos dos profissionais e os objetivos da organização.”


Engajamento em alta
Não é um conceito novo, mas apenas nos últimos anos o engajamento alcançou visibilidade no meio corporativo. A pesquisa da Aon Hewitt avaliou a força da cultura organizacional com potencial de oferecer um ambiente propício para engajar pessoas. A proposta atual do mercado de trabalho sugere que os empreendedores estejam preparados para desenvolver uma cultura capaz de acolher talentos com potencial de participação efetiva. A iniciativa possibilita a formação de aliados para contribuir na identificação de soluções, melhorias e inovações. 

 

[fbcomments]