Em pé de igualdade

0
404

Melhor - Gestão de pessoasQuando dois candidatos que disputam uma vaga na Alcoa apresentam as mesmas competências, a preferência é pela mulher. A regra faz parte de um conjunto de práticas que não só visam à valorização do sexo feminino, mas da diversidade e da inclusão social. “Acreditamos que, ao definir e realizar com eficiência programas de inclusão com metas claras para toda a liderança, baseados na visão e valores da empresa, somos percebidos pelas nossas colaboradoras como um excelente lugar para trabalhar”, destaca a diretora de RH Vania Akabane.

Entre as metas dos recrutadores, por exemplo, está a apresentação de 50% de candidatos do sexo masculino e 50% do sexo feminino nos processos de seleção. “Temos o objetivo de aumentar o número de mulheres em nossa força de trabalho para obter, no futuro, uma composição mais equilibrada de gênero, que reflita a proporção do mercado de trabalho. E o processo de recrutamento e seleção é a melhor estratégia para essa transformação”, explica Vania. Atualmente, a Alcoa no Brasil tem 15% de mulheres em seu quadro, das quais 26% encontram-se na média liderança e 18% na alta liderança. Vale ressaltar que, desde 2010, a empresa vem conseguindo contratar mulheres para exercer atividades que sempre foram predominantemente masculinas: na unidade de Poços de Caldas (MG), há uma profissional operando uma escavadeira na mina; em Juriti (PA), 11 mulheres são responsáveis pela operação de equipamentos de grande porte na área de mineração; enquanto em Tubarão (SC), profissionais do sexo feminino operam uma empilhadeira.

Apesar de não ser a maioria, diversos programas da empresa são destinados ao público feminino. Um dos que se destacam é o Programa Sintonia, em vigor na unidade de São Luís (MA) – a maior da empresa na América Latina -, que incentiva o ingresso de mulheres estudantes do ensino médio em cursos de graduação em engenharia para que, no futuro, possam assumir funções na própria empresa. Ao iniciarem o curso, elas recebem uma bolsa de estudo para o idioma inglês e podem estagiar na Alcoa. “Fizemos uma busca junto às universidades de engenharia na região e vimos que o número de egressas era muito pequeno e que havia uma falta de estímulo à estudante secundarista aos programas técnicos”, ressalta a diretora. Outra iniciativa voltada para o público feminino é a Alcoa Women´s Network (AWN), implantada em 2001 nos EUA e em 2005 no Brasil, cujo objetivo é aumentar a participação das mulheres em cargos de liderança. “Temos espaço para crescer em diversidade e inclusão. O reconhecimento das nossas
´alcoanas´, nos enche de alegria, mas nos dá também mais responsabilidade”, reflete a executiva de RH.

 

 

 

 

[fbcomments]