Entrevista feita com o RH da Heineken Amsterdã e Guy Luchting

12 de Fevereiro de 2014

Entrevista feita com o RH da Heineken Amsterdã

MELHOR: Como decidiram implantar esse tipo de recrutamento?
Quando a Heineken decidiu contratar um estagiário (trainee) para a área de eventos e marketing promocional, resolveram seguir uma rota nada convencional. Em vez de aplicarem questionamentos sobre decisões de trabalho hipotético, decidiu-se por testar a confiança e a desenvoltura dos candidatos quando estivessem frente a frente com a adversidade – todas as habilidades inerentes Í  vaga anunciada.
A Heineken elaborou uma lista pequena de candidatos que foram convidados a participar da seleção na sede da empresa em Amsterdã, onde os recrutadores observaram as distintas reações dos participantes, enquanto eram secretamente filmados. O viral “The Candidate” é um filme de bastidores dessas reações. Ele mostra a desenvoltura dos candidatos diante de situações extraordinárias no ambiente de trabalho – como segurar a mão do chefe, tentar acudi-lo logo após perceber que desmaiou e finalmente ajudar no resgate de um funcionário que ficou preso no telhado após o despertar de um alarme de incêndio.


Quais habilidades foram consideradas durante o processo?
Diante do imenso número de inscrições, fizemos uma pré-seleção interna onde os candidatos foram julgados não apenas por habilidades demonstradas em seus currículos, mas pela manifestação dessas habilidades.

Uma vez que foi um recrutamento incomum, houve alguma resistência dentro da Heineken para que a seleção fosse realizada nesses moldes?
Ainda não é uma maneira comum de recrutamento e foi a primeira vez que a Heineken fez algo semelhante. O processo de entrevista é normalmente realizado de maneira tradicional, mas neste caso, a vaga pedia uma seleção incomum, buscávamos um perfil criativo, entusiasmado, apaixonado, de mente aberta, confiante e com jogo de cintura – achávamos que este tipo de recrutamento nos ajudaria a encontrar a pessoa adequada Í  vaga.

Qual foi a importância da eleição on-line para os três finalistas do processo?
Foi extremamente importante. O time no qual Guy Luchting (escolhido para a vaga) está trabalhando agora, o selecionou por meio desse processo.





Guy Luchting, escolhido para vaga de treinee da Haineken por meio da seleção conhecida como “The candidate”.

MELHOR: Por que você decidiu se inscrever para a vaga?
A oportunidade de trabalhar para uma das melhores marcas do mundo e patrocinadora da Liga dos Campeões da UEFA era muito boa para desperdiçar. Mais de 1700 pessoas também se candidataram Í  vaga. Tão obvio, muitas pessoas tiveram a mesma opinião que eu.

O que você sentiu quando percebeu que a entrevista de empresa não estava sendo conduzida nos moldes normais?
Eu realmente não entendi o que estava acontecendo. Primeiro, eles pegaram na minha mão. Pensei que eles estavam apenas querendo ser amigáveis. Então, do nada o entrevistador cai no chão e na sequencia o alarme de incêndio e quando me dou conta estou do lado de fora da empresa ajudando um cara a pular do telhado. Foi uma loucura.

Em algum momento pensou em abandonar a entrevista?
Não, enquanto estava na entrevista me focava para fazer o melhor e tentar impressionar o entrevistador com minha paixão e experiência. Depois que passou a entrevista que analisei melhor e cheguei a conclusão que tudo foi um pouco surreal.

Quando você foi convocado pela Heineken para o teste final no estádio, você já sabia que a vaga era sua?
Sim, entre o tempo da entrevista e o dia do jogo seria impossível que eu já não soubesse disso. O que nos vemos no vídeo de divulgação do processo de seleção foi uma pós-produção para dramatizar o filme.

O que você sente com o emprego na mão?
Eu estou feliz. Eu mostrei para a Heineken tudo que eu sabia e eles me deram esse emprego maravilhoso para atuar no segmento de patrocínio da Liga dos Campeões da UEFA. É realmente o emprego dos sonhos. 

Entrevista feita com o RH da Heineken Amsterdã

MELHOR: Como decidiram implantar esse tipo de recrutamento?
Quando a Heineken decidiu contratar um estagiário (trainee) para a área de eventos e marketing promocional, resolveram seguir uma rota nada convencional. Em vez de aplicarem questionamentos sobre decisões de trabalho hipotético, decidiu-se por testar a confiança e a desenvoltura dos candidatos quando estivessem frente a frente com a adversidade – todas as habilidades inerentes Í  vaga anunciada.
A Heineken elaborou uma lista pequena de candidatos que foram convidados a participar da seleção na sede da empresa em Amsterdã, onde os recrutadores observaram as distintas reações dos participantes, enquanto eram secretamente filmados. O viral “The Candidate” é um filme de bastidores dessas reações. Ele mostra a desenvoltura dos candidatos diante de situações extraordinárias no ambiente de trabalho – como segurar a mão do chefe, tentar acudi-lo logo após perceber que desmaiou e finalmente ajudar no resgate de um funcionário que ficou preso no telhado após o despertar de um alarme de incêndio.


Quais habilidades foram consideradas durante o processo?
Diante do imenso número de inscrições, fizemos uma pré-seleção interna onde os candidatos foram julgados não apenas por habilidades demonstradas em seus currículos, mas pela manifestação dessas habilidades.

Uma vez que foi um recrutamento incomum, houve alguma resistência dentro da Heineken para que a seleção fosse realizada nesses moldes?
Ainda não é uma maneira comum de recrutamento e foi a primeira vez que a Heineken fez algo semelhante. O processo de entrevista é normalmente realizado de maneira tradicional, mas neste caso, a vaga pedia uma seleção incomum, buscávamos um perfil criativo, entusiasmado, apaixonado, de mente aberta, confiante e com jogo de cintura – achávamos que este tipo de recrutamento nos ajudaria a encontrar a pessoa adequada Í  vaga.

Qual foi a importância da eleição on-line para os três finalistas do processo?
Foi extremamente importante. O time no qual Guy Luchting (escolhido para a vaga) está trabalhando agora, o selecionou por meio desse processo.





Guy Luchting, escolhido para vaga de treinee da Haineken por meio da seleção conhecida como “The candidate”.

MELHOR: Por que você decidiu se inscrever para a vaga?
A oportunidade de trabalhar para uma das melhores marcas do mundo e patrocinadora da Liga dos Campeões da UEFA era muito boa para desperdiçar. Mais de 1700 pessoas também se candidataram Í  vaga. Tão obvio, muitas pessoas tiveram a mesma opinião que eu.

O que você sentiu quando percebeu que a entrevista de empresa não estava sendo conduzida nos moldes normais?
Eu realmente não entendi o que estava acontecendo. Primeiro, eles pegaram na minha mão. Pensei que eles estavam apenas querendo ser amigáveis. Então, do nada o entrevistador cai no chão e na sequencia o alarme de incêndio e quando me dou conta estou do lado de fora da empresa ajudando um cara a pular do telhado. Foi uma loucura.

Em algum momento pensou em abandonar a entrevista?
Não, enquanto estava na entrevista me focava para fazer o melhor e tentar impressionar o entrevistador com minha paixão e experiência. Depois que passou a entrevista que analisei melhor e cheguei a conclusão que tudo foi um pouco surreal.

Quando você foi convocado pela Heineken para o teste final no estádio, você já sabia que a vaga era sua?
Sim, entre o tempo da entrevista e o dia do jogo seria impossível que eu já não soubesse disso. O que nos vemos no vídeo de divulgação do processo de seleção foi uma pós-produção para dramatizar o filme.

O que você sente com o emprego na mão?
Eu estou feliz. Eu mostrei para a Heineken tudo que eu sabia e eles me deram esse emprego maravilhoso para atuar no segmento de patrocínio da Liga dos Campeões da UEFA. É realmente o emprego dos sonhos. 

Compartilhe nas redes sociais!

Enviar por e-mail