Estado de prontidão

Leyla Nascimento
25 de novembro de 2013

Basta olharmos a nossa volta para perceber o cenário de mudanças que nos ronda. Numa velocidade crescente, as transformações vão ganhando corpo e terreno nos contextos social, político e econômico. O mundo, cada vez menor, torna-se um enorme palco de grandes desafios e de incertezas. Somos afetados de inúmeras maneiras, fora e dentro das empresas. Sim, pois como centros de relacionamento, as organizações não se veem imunes aos novos cenários ambíguos, complexos e vulneráveis.

Diante disso, cabe a todos aqueles que as compõem refletir sobre seus rumos, propósitos e objetivos. Pesa sobre os ombros de cada colaborador, gestor, e, sobretudo, de cada líder construir desde agora um novo caminho, um novo futuro – embora as questões sejam muitas e as respostas, poucas.

Afinal, não há como prever o amanhã, mas há como nos fortalecermos para enfrentar os desafios. Estar pronto é tudo, lembra-nos Shakespeare na voz de Hamlet, ante um duelo mortal. Preparar a empresa para o que ainda está por vir é não deixá-la morrer na ponta da espada desse inimigo cruel que pode ser a mudança. É saber usar a mesma estratégia e fazer da imposição da mudança uma oportunidade para nos projetar para o futuro e sairmos vencedores do embate.

Isso demanda uma nova postura, uma nova gestão, uma nova mentalidade. E em se tratando de empresas, de um novo RH, capaz de prover todos os líderes com o ímpeto capaz de mobilizar as pessoas em torno dessa causa, capaz de traduzir o mundo e suas mudanças para a companhia e avaliar os impactos das transformações na vida da organização e de cada um de seus membros.

Esperamos, na edição do CONARH deste ano, levar essa discussão para o profissional de recursos humanos. Tendo como tema central Reinventando a gestão: uma construção coletiva, o maior evento sobre gestão de pessoas da América Latina pretende ampliar o escopo da área para que ela possa assumir definitivamente seu espaço na liderança dos processos de transformação nas empresas. Fazer dela o centro de mudanças, o ponto catalisador de esforços e conhecimentos para uma nova gestão.

O RH precisa estar pronto. Sempre.

 

Leyla Nascimento
Presidente da ABRH – Nacional

Reprodução

 

Compartilhe nas redes sociais!

Enviar por e-mail