Gestão em destaque

0
401

Compreender os mecanismos de defesa dos trabalhadores vítimas de assédio moral e os impactos desse problema para as organizações. Investir na evolução dos colaboradores por meio de uma universidade corporativa e, ao mesmo tempo, cuidar da longevidade da companhia. Fomentar um programa de mentoring, no qual tanto mentor quanto mentorado aprendam e que possa ser fonte de atração e retenção de talentos. Criar um modelo de avaliação de fatores individuais e organizacionais que ensejem o intraempreendedorismo.  E mostrar que a máxima “gentileza gera gentileza” pode trazer mais resultados no mundo corporativo.

Essas são algumas das iniciativas vencedoras do Prêmio Ser Humano Oswaldo Checchia 2012, concedido pela ABRH-Nacional desde 1993.

A relação dos 15 ganhadores e entrega dos troféus foi realizada durante o 38º Congresso Nacional sobre Gestão de Pessoas (CONARH 2012), no Transamerica Expo Center, na capital paulista, em evento que teve como mestres de cerimônia Cássio Mattos, presidente do Conselho Deliberativo da ABRH-Nacional, e Cristiane de Ávila Fernandes, presidente da ABRH-MG. Confira, a seguir, um resumo de cada um dos cases vencedores.


MODALIDADE: GESTÃO DE PESSOAS

CATEGORIA: ACADÊMICA

OURO – Um modelo de avaliação dos antecedentes do empreendedorismo corporativo / Alexandre de Araújo Castro (MG)

O case foi elaborado porque estudiosos de competitividade das organizações têm atrelado o intraempreendedorismo ao processo de formação de vantagens competitivas e à inovação. Além disso, identificam desempenho superior entre as empresas que desenvolvem o empreendedorismo interno. Porém, para que isso ocorra, é necessária a presença de indivíduos com características empreendedoras, interagindo em um ambiente organizacional que permita iniciativas dessa natureza. Apesar disso, o autor não encontrou nenhum modelo de avaliação ou pesquisa que identificasse o grau de presença dos antecedentes do intraempreendedorismo, por intermédio da avaliação simultânea dessas duas dimensões. Assim, foi construído um modelo inédito de avaliação dos fatores individuais e organizacionais. Segundo o autor, com o modelo, organizações que buscam desenvolver o intraempreendedorismo poderão avaliar indivíduos e ambiente interno, identificando as necessidades específicas de melhorias e, assim, adotar medidas mais efetivas.

PRATA – Estratégias de enfrentamento em vivências de assédio moral no trabalho / Laura Pedrosa (PE)

O estudo visou compreender os mecanismos de defesa dos trabalhadores vítimas de assédio moral, descrever formas de enfrentar e de se defender de práticas em que se evidencie esse tipo de violência e estudar as possíveis relações entre as estratégias defensivas adotadas e suas repercussões na saúde do trabalhador. A Psicodinâmica do Trabalho é a base epistemológica do estudo e a metodologia atende às exigências de uma pesquisa de natureza qualitativa. Participaram seis trabalhadores com diagnóstico de vivências de assédio moral no trabalho, confirmado pelo Centro Especializado em Saúde do Trabalhador (Cest), órgão da Prefeitura da Cidade do Recife (PE). Para a coleta dos dados, foram realizadas entrevistas semiestruturadas. A análise atendeu ao método de Análise de Conteúdo e as respostas aos objetivos foram categorizadas por temas, na perspectiva de Minayo (2000). Os resultados apontam que a organização do trabalho contribui sobremaneira para as práticas e reproduções das situações de assédio moral, provocando vivências de sofrimento no trabalhador vitimado.  A negação e a racionalização foram as principais estratégicas defensivas observadas nos relatos, manifestadas por meio de isolamento social e psicoafetivo, evitação, passividade, resignação, medo, apatia, silêncio. Em alguns casos, esses mecanismos minimizaram os impactos provenientes das vivências de sofrimento decorrentes das relações precárias de trabalho.  Todavia, o dano à saúde ficou evidente na fala de cada entrevistado. 
O estudo pretende contribuir para a reflexão sobre possíveis práticas de intervenção que ajudem a promover relações socioprofissionais saudáveis e para novos estudos em saúde mental e trabalho.

BRONZE – A relação entre líderes e membros (LMX), estilos de liderança e seus impactos na satisfação no trabalho e desempenho dos colaboradores / Paula Sousa Brant e Melo (MG)

Por meio desse estudo é possível evidenciar a evolução dos estudos sobre a liderança, os quais vêm se alterando ao longo do tempo, à medida que o mercado também sofre mudanças e se torna mais complexo. O estudo da liderança tem implicações diretas na gestão de negócios. Assim sendo, é possível verificar que a relação com o líder e o estilo adotado por ele são fatores que influenciam na produtividade do empregado e, também, na sua satisfação no trabalho. Ou seja, a busca por um ambiente de trabalho que propicie uma relação mais próxima entre líderes e liderados e a busca por líderes com o estilo transformacional podem ser consideradas como um diferencial competitivo para a organização, à medida que melhora a produtividade e colabora com a satisfação. Esse estilo de liderança apresentou resultados relevantes no contexto nacional e deve ser mais explorado pela ciência, na ampliação de seus estudos. A pesquisa aponta, assim, para diferenças com outros trabalhos executados no exterior, indicando possíveis estilos de liderança no cenário nacional, bem como relações entre os construtos, que podem direcionar novos estudos e influenciar a compreensão desse importante campo de pesquisa.

MODALIDADE: GESTÃO DE PESSOAS

CATEGORIA: EMPRESA

OURO – Universidade Guarida: formação em qualidade de vida / Guarida Locadora e Mediadora de Imóveis (RS)

A Universidade Corporativa da Guarida Imóveis (Unigua) foi criada há nove anos, quando a empresa ainda não ocupava o lugar de destaque que tem atualmente no mercado de imóveis da capital e litoral do Rio Grande do Sul. A intenção era oferecer aos colaboradores a oportunidade de crescerem, seja na carreira, seja na vida pessoal. Por isso, a universidade tem um currículo que reúne disciplinas variadas, desde aquelas que permitem que o aluno aprenda mais sobre o negócio imobiliário até as que têm ênfase no autoconhecimento e aperfeiçoamento. A inscrição é livre e os alunos podem escolher o ritmo em que farão o curso. Desde a fundação da universidade, a Guarida experimentou um crescimento expressivo. Subiu de 5% do mercado de imóveis avulsos de Porto Alegre, em 2002, para 35%, em 2011; saltou de 67 colaboradores, no início de 2003, para 265 no início de 2011; passou de sete corretores para 88 no mesmo período; e expandiu seu número de lojas de duas para seis. Esses números demonstram o acerto da iniciativa, e confirmam a validade da visão humanista expressa na Unigua. Uma parcela importante de colaboradores já concluiu ou está cursando a universidade corporativa. E a Guarida acredita que, por meio dela, não está contribuindo apenas para a evolução do seu público interno. Também está investindo na própria longevidade da empresa e em seu crescimento.

PRATA – Programa de Mentoring Unimed Porto Alegre: compartilhar para crescer / Unimed Porto Alegre (RS)

A Unimed POA instituiu, em 2009, o Programa de Mentoring com a finalidade de estimular o crescimento profissional e psicossocial de seus colaboradores, bem como possibilitar o seu desenvolvimento de carreira. O programa de mentoria da cooperativa é, simultaneamente, formal e flexível, alinhado aos valores da empresa. Dentro de uma visão integral e integrativa do ser humano, busca criar uma relação em que mentor e mentorado possam evoluir.  Por intermédio dele, os colaboradores escolhem seus mentores dentre aqueles que se inscreveram voluntariamente. Nessa troca, ambos saem ganhando: o mentorado aprende sobre a empresa, reavalia suas atitudes e tem alguém que lhe ajuda a definir caminhos. O mentor tem a oportunidade de exercitar suas habilidades de feedback e diálogo, além de ter a satisfação de ajudar um colega a evoluir. Para a Unimed, o programa de mentoria contribui para a retenção de talentos, melhora as relações entre colaboradores e influencia a performance deles. Com base em pesquisas de satisfação e nos feedbacks obtidos ao longo dos primeiros anos, o programa foi aperfeiçoado e está em seu terceiro ano com inovações que visam dar ainda mais suporte a mentores e mentorados sem, jamais, intervir nessa relação de confiança.

BRONZE – Gestão humanizada de RH: Integra empresa, colaborador, família e sociedade  / Grupo Segurador  Banco do Brasil e Mapfre (SP)

O Grupo Segurador Banco do Brasil e Mapfre é formado pela união estratégica, firmada em 2010, entre a Mapfre e o Banco do Brasil. Segue um modelo de gestão cujas estratégias consideram as demandas dos stakeholders-chave, posicionamento que lhe permite integrar os objetivos corporativos a uma série de iniciativas voltadas a esses grupos. Na empresa, 2/3 da estratégia está direcionada ao relacionamento – clientes e pessoas – e 1/3 aos colaboradores. A diretoria geral de recursos humanos desenvolve um amplo programa com foco em qualidade de vida, com ações que abrangem todos os colaboradores e, muitas vezes, inclusive seus familiares, pautado na estratégia de pessoas – ambiente diferenciado, reconhecimento e alta performance. A área de RH cria continuamente ações de integração, momentos de descontração e celebração, com a intenção de evidenciar a importância do relacionamento e também para demonstrar que a empresa valoriza o colaborador em todos os aspectos e nos diferentes papéis que ele assume em sua vida, nos diferentes grupos sociais em que ele atua, por isso em inúmeras ocasiões, inclui em seu plano de ações, a participação direta da família do colaborador.

MODALIDADE: GESTÃO DE PESSOAS

CATEGORIA: PROFISSIONAL

OURO – Gentileza no trabalho – A ferramenta do século 21 / Luiz Gabriel Tiago (SP)

A metodologia Gentileza no Trabalho surgiu da necessidade de encontrar o modus operandi ideal para equipes de trabalho, empresas de qualquer área e para pessoas que mereçam uma (re)adequação dentro do ambiente profissional. O método foi desenvolvido por parâmetros norteados e inspirados pela singeleza do falecido José Datrino (1917-1996). Conhecido como “Profeta Gentileza”, o paulista de Cafelândia viveu no Rio de Janeiro por 40 anos, pregando e disseminando a gentileza. Uma de suas máximas evidenciou sua aplicabilidade nas empresas: “Gentileza gera gentileza”. Assim, atos gentis podem gerar solidariedade, companheirismo, respeito, tolerância e, em ambientes profissionais, geram prosperidade, fidelização dos clientes e lucratividade. O formato do programa para as empresas pode ser aplicado por meio de workshops com a duração de oito horas onde há a carência de bom relacionamento entre as pessoas e resultados e metas comprometidos. Com sua aplicação em várias empresas brasileiras, somam-se a ele resultados como a melhoria nas relações intra e interpessoais, valorização da imagem da corporação por parte dos colaboradores, fidelização/captação de clientes e aumento das vendas.

PRATA – Implantação da Escola de Gestão Pública do Estado do Ceará: limites e possibilidades / Filomena Maria Lobo Neiva Santos (Lena Neiva), Flora Maria Carneiro Teles e Maria Hebe Camurça Citó (CE)

A implantação da Escola de Gestão Pública do Estado do Ceará visa colocar em prática um plano de desenvolvimento e atualização de competências em gestão, que contemple o maior número de servidores e que seja consolidado por uma política de RH que reflita os desafios e necessidades da gestão pública estadual, pressupondo investir numa estrutura que garanta a continuidade das ações de capacitação.
Desse modo, a implantação da escola permitirá desenvolver uma cultura de capacitação e que o processo de formação continuada venha a se consolidar naquele Estado, com a finalidade de aprimorar a qualidade dos serviços ofertados ao cidadão. Durante o processo de implantação, alguns limites foram observados, gerando grandes desafios evidenciados a seguir: a maioria dos dirigentes públicos não enxerga a capacitação como investimento estratégico para a gestão das políticas públicas; fragilidades do sistema estadual de gestão de pessoas; descompasso entre a gestão de desempenho com a política de remuneração e planos de carreira e capacitação; as ações de capacitação isoladas da gestão de pessoas.

BRONZE – Assédio moral no trabalho e processo de avaliação de competências: diálogos perversos / Laura Pedrosa (PE)

O estudo teve por objetivo geral demonstrar que, dentre as práticas abusivas que caracterizam o assédio moral no trabalho, é possível utilizar o processo formal de avaliação de desempenho (ou de competência) como estratégia perversa. Os objetivos específicos foram: caracterizar as situações que configuram a violência; descrever vivências de sofrimento no trabalho; e demonstrar práticas de assédio moral, utilizando o processo de avaliação de performance para prejudicar a imagem e a carreira profissional do trabalhador.  A Psicodinâmica do Trabalho é a base teórica que subsidia o estudo. A metodologia utilizada é uma pesquisa qualitativa. Seis trabalhadores atendidos no CEST – Centro Especializado em Saúde do Trabalhador de Recife (PE) participaram da pesquisa.  A técnica utilizada para a coleta e análise dos resultados foi uma entrevista semidirigida. O método foi a Análise Temática (Minayo). Os resultados apontam: (1) a organização do trabalho contribui sobremaneira para as práticas e as reproduções das situações de assédio moral, provocando vivências de sofrimento no trabalhador assediado; (2) impacto negativo no desempenho profissional; (3) carreira e imagem profissional prejudicadas devido ao processo de avaliação de desempenho deliberadamente injusto. O estudo sugere uma reflexão acerca dos erros valorativos de avaliação de performance dos trabalhadores que vivenciam violência psicológica e suas repercussões na saúde e na produtividade.

MODALIDADE: DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL E RESPONSABILIDADE SOCIAL

CATEGORIA: EMPRESA CIDADÃ

OURO – Centro de Educação Infantil “Sonho de Criança” / Ticket Serviços (SP)

Desde que foi criado, em 2004, o CEI Sonho de Criança atende gratuitamente crianças entre zero e cinco anos, em regime de semi-internato, oferecendo proteção, educação e cuidados com a saúde física e psicológica. Situado no Parque do Gato, conjunto construído após a urbanização da Favela do Gato, no bairro do Bom Retiro, na capital paulista, o centro já atendeu 1,6 mil “futuros cidadãos”.
A Ticket, líder histórica do segmento de refeição-convênio com o Ticket Restaurante e que integra o Grupo Edenred, criado após a cisão das operações de serviços e hotelaria da Accor, foi a responsável pela iniciativa, coordenação e investimento de 60% dos recursos para a construção, que exigiu 1,5 milhão de reais. Também contribuíram empresas do Grupo Accor, 1.357 colaboradores da Ticket e 40 fornecedores e parceiros. Hoje, a Prefeitura de São Paulo mantém o CEI em funcionamento, a Sociedade São Camilo é responsável pela administração e a Ticket apoia a manutenção da infraestrutura do prédio e desenvolve campanhas para as crianças atendidas. O CEI integra o pilar Community da filosofia de gestão da Ticket, movimento da cultura organizacional que promove um círculo virtuoso de crescimento que envolve colaboradores, clientes, estabelecimentos, usuários, acionistas e a comunidade.

PRATA – Projeto Escolha Jovem /Instituto Nextel (SP)

O Instituto Nextel é uma Oscip que atua com sete unidades nas cidades de São Paulo, Campinas (SP), Santos (SP), Salvador (BA) e Rio de Janeiro (RJ), com objetivo de contribuir com a formação de jovens. 
O projeto Escolha Jovem visa concretizar as oportunidades de acesso a bens culturais, elevação da escolarização e a inserção no mercado de trabalho dos jovens egressos dos projetos Conexão Direta e Conexão Digital do instituto. É a etapa em que o jovem se torna sujeito do seu processo de desenvolvimento cognitivo, relacional, pessoal e profissional. Cabe ao instituto mapear oportunidades e despertar o empreendedorismo juvenil. Para tanto, são realizadas as seguintes ações:

> mobilização de empresas para a oferta de oportunidades aos jovens nos processos seletivos para atuações como jovem aprendiz, estagiário ou primeiro emprego;

> orientação e acompanhamento dos jovens que participam de processos seletivos;
 identificação de cursos, pré-vestibulares e exames nacionais que favoreçam a elevação da escolaridade dos jovens.

Desde 2008 até o primeiro semestre de 2012, o projeto já monitorou e garantiu a inserção de 71% dos mais de 2,4 mil jovens entre 16 e 24 anos.

BRONZE – Semana Ticket Cultura e Esporte / Ticket Serviços (SP)

Promovida pela Ticket, a Semana Ticket Cultura & Esporte é um programa que promove e viabiliza a democratização do acesso à cultura e ao esporte para a população, por meio da acessibilidade universal, formação de público com atividades de alta qualidade e capacitação de professores da rede pública de ensino com clínicas esportivas e também culturais. Sempre em novembro, comemorando o Dia Nacional da Cultura (5), ao longo das cinco edições do evento, o programa já beneficiou mais de 480 mil participantes. Só em 2011, 180 mil pessoas foram beneficiadas por meio de oito áreas (circo, cinema, teatro, música, artes visuais, incentivo à leitura, responsabilidade ambiental e esporte), que totalizaram mais 300 atividades totalmente gratuitas nas cidades de São Paulo, Rio de Janeiro e Belo Horizonte. Para seu sucesso, o projeto recebeu apoio de mais de 30 parceiros, como: Secretaria Municipal de Educação de São Paulo, Museu da Arte de São Paulo (Masp), Senac, Condomínio Conjunto Nacional, Circo Zanni, Esporte Clube Pinheiros, entre outros.

MODALIDADE: DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL E RESPONSABILIDADE SOCIAL

CATEGORIA: ORGANIZAÇÃO DO TERCEIRO SETOR

OURO – Case Unilehu – Inclusão de pessoas com deficiência no mercado de trabalho / Unilehu – Universidade Livre para a Eficiência Humana (PR)

A Unilehu é uma instituição social que, desde 2005, desenvolve a empregabilidade das pessoas com deficiência e prepara as empresas para a inclusão, como forma de garantir o acesso ao trabalho, com qualidade e responsabilidade social, para esse público. Em parceria com mais de 40 empresas e o apoio dos três setores da sociedade, oferece atendimento totalmente gratuito para as pessoas com deficiência em diversos programas para prepará-las para o mercado de trabalho, incluindo qualificação e orientação profissional, acompanhamento especializado, aprendizagem profissional e atendimento psicossocial. A partir dessa intervenção social, a prontidão para o trabalho é desenvolvida, o que aumenta as chances de esses profissionais conseguirem uma oportunidade de trabalho para o alcance de sua autonomia e resgate da cidadania. Desde a sua fundação, mais de 4 mil pessoas com deficiência foram qualificadas profissionalmente e incluídas no mercado formal de trabalho, apresentando resultados significativos. Esses resultados foram frutos de uma intensa mobilização de empresas e organizações da sociedade civil, como uma solução compartilhada de responsabilidade social empresarial para um cenário de exclusão e desigualdade social das pessoas com deficiência.

PRATA – Programa Aprendiz Legal / Ciee – Centro de Integração Empresa-Escola (SP)

Da sua implementação, em 2003, até hoje, o Programa Aprendiz Legal já beneficiou 110 mil jovens de 14 a 24 anos, com formação profissional, dividida em capacitação teórica ministrada pelo Ciee e atividades práticas em mais de 10 mil empresas parceiras em todo o país. Atualmente, conta com 1,2 mil turmas de aprendizes em quase cem municípios, distribuídos em 380 salas, onde recebem aulas teóricas ministradas por 360 instrutores especialmente treinados. Voltado para jovens de camadas menos favorecidas, e mantido em parceria com a Fundação Roberto Marinho, o Aprendiz Legal oferece dez modalidades de formação e uma equipe de assistentes sociais para promover a interação entre família, empresa, aprendiz e comunidade. Adicionalmente, oferece de forma gratuita cursos de desenvolvimento presenciais e a distância, laboratórios de informática, palestras motivacionais e integrativas, lanches e atividades extracurriculares culturais e esportivas. O Aprendiz Legal integra o conjunto de programas de assistência social mantidos pelo Ciee e é realizado em estreito apoio à Lei 10.097/2000, que determina a contratação de cotas de aprendizes por empresas de médio e grande porte. 

BRONZE – Projeto Gestante /OMEP-BR – Organização Mundial para Educação Pré-Escolar (MS)

O relatório de Desenvolvimento Humano 2011, divulgado pelo Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento, classifica o Brasil na 84ª posição entre 187 países avaliados. Na cidade de Campo Grande, no Mato Grosso do Sul, a Omep, motivada a melhorar a qualidade de vida do país, desenvolve o Projeto Gestante, programa de conscientização e tratamento gratuito e contínuo.
O intuito é abordar a saúde como bem-estar geral das 30 participantes, propiciando tratamento bucal e acompanhamento nutricional, por meio de dietas e garantia da segurança alimentar. As mulheres são atendidas com data e hora agendadas por meio de uma consulta completa com avaliação nutricional, avaliação antropométrica, avaliação subjetiva global, recordatório alimentar 24 horas, acompanhado de atividades físicas, demonstrando seus impactos no aleitamento, por meio do engajamento e disposição das mães. As gestantes são conscientizadas e encaminhadas para o exame pré-natal, pois o estudo percebeu que 55% das participantes não possuíam conhecimento e a intenção de realizar esse acompanhamento. Cáries e obstruções bucais foram encontradas em 90% das mulheres atendidas.
Tais situações foram tratadas com acompanhamento especializado e educação à saúde. Para que o programa seja efetivo após o nascimento dos filhos das gestantes do programa, as crianças garantem uma vaga no centro de educação infantil da Omep, onde os cuidados com a saúde e a educação básica prevalecem.

 

SHARE
Previous articleAção e reação
Next articleI am back!
[fbcomments]