Gestão

Guia Salarial Brasil 2013

25 de Janeiro de 2014

Confira o Guia Salarial 2013 da Hays, segmentado por área de atuação.

RH – UM PARCEIRO ESTRATÉGICO 

Desde o chamado milagre brasileiro, nos longínquos anos 70 do século passado, o Brasil não cresceu tanto quanto na última década: entre 2001 e 2010, o país criou quase 18 milhões de empregos com carteira assinada. Entretanto, o aumento dessa demanda não encontrou ofertas adequadas. Apesar de 93 milhões de brasileiros estarem aptos a trabalhar, muitas vezes não têm a qualificação necessária de que o mercado necessita. É nesse contexto que os profissionais de RH atuam. Não é de estranhar, portanto, que nesse período a função tenha mudado radicalmente de perfil. Mais do que nunca, a função do profissional de recursos humanos é atuar de maneira estratégica, seja para atrair, reter, treinar ou desenvolver os talentos necessários ao sucesso de qualquer estratégia empresarial.

Cargos em alta:
business partners, especialistas em estratégias de retenção e crescimento, notadamente em remuneração e benefícios e desenvolvimento organizacional. Relações sindicais e industriais de diversos níveis hierárquicos integram o rol dos cargos mais demandados em 2012.

Expectativas para 2013
Além de business partners, a demanda estará aquecida em relação aos profissionais de recrutamento e seleção, por causa das start-ups que estão formando seus times, e cargos e salários. Cada vez mais, as empresas estão desenhando modelos de remuneração variável atrelados ao desempenho dos profissionais. A demanda de profissionais de remuneração e benefícios deve aumentar ainda mais neste ano. Relações industriais e sindicais são áreas que também prometem em 2013.
 


 BANCOS – NOVAS LINHAS DE ATUAÇÃO

O mercado financeiro em 2012 exibiu um cenário híbrido. Do ponto de vista de negócios, foi um período dinâmico, pautado pela resiliência à crise internacional e pela adaptação a um PIB em reduzida expansão e às novas condições de rentabilidade oriundas de taxas de juros mais baixas. Do ponto de vista de RH, foi um ano parcimonioso, de poucas mudanças e muita cautela. Os dados não mentem sobre a afirmação: a criação de empregos nos bancos públicos e privados do país caiu 80,4% no primeiro semestre de 2012, na comparação com igual período de 2011.

Cargos em alta: 
profissionais da área comercial e heads de agência, comerciais para pessoas jurídicas e físicas de alta renda.

Expectativas para 2013
Para 2013, a expectativa do setor financeiro é de intensificar a busca de novas áreas de negócios e novas formas de relacionamento com o consumidor. A perspectiva de retomada do crescimento deve acentuar o foco nas áreas comerciais e nos negócios para todas as frentes do mercado.
 


CONSTRUÇÃO E PROPRIEDADE – A TODO VAPOR 

A diretriz do governo federal de ampliar os investimentos em energia e estradas, junto com as necessidades intrínsecas à recepção de grandes eventos, como Copa do Mundo e Olimpíadas, eleva o volume de grandes obras. Em todas as regiões, temos estradas, ferrovias, metrôs, monotrilhos, hidrelétricas e estádios em construção. Esse cenário aumenta a demanda de mão de obra qualificada em todos os níveis, mantém os salários em ascensão e fomenta carreiras.

Cargos em alta: 
segurança do trabalho, incorporação, planejamento, engenheiros e gerentes de obras.

Expectativas para 2013
Para 2013, espera-se uma retomada do mercado imobiliário. Esse é um setor que depende muito de financiamento, e o amplo acesso ao crédito e as taxas cadentes favorecem uma mudança de marcha no setor. O segmento de infraestrutura, por outro lado, deverá ver seu já intenso ritmo de expansão acelerar ainda mais com a proximidade do deadline de vários projetos relacionados à Copa do Mundo.
 


CONTABILIDADE E FINANÇAS – CRESCENDO COM SETORES ESTRATÉGICOS 

Não é possível traçar um cenário único do mercado para profissionais de contabilidade e finanças em 2012. O motivo é a crise internacional, que respingou na nossa economia, comprometeu a performance de vários segmentos e manteve os salários da categoria dentro dos limites do ano anterior, com reposição da perda inflacionária do período. Essa descrição, no entanto, não dá conta da realidade das atividades que mostraram resiliência à estagnação econômica e colheram bons dividendos. É o caso de setores como petróleo e gás, infraestrutura, agronegócio, educação, farmacêutica, saúde e varejo. Aqui, a demanda por talentos permaneceu aquecida, o que alavancou a remuneração dos profissionais de contabilidade e finanças. No setor, também foi constatada uma ampliação de mercado em direção às empresas de pequeno e médio porte. Elas estão conseguindo adequar suas remunerações às que são praticadas pelas grandes corporações, para atrair e reter talentos.

Cargos em alta: 
gerentes administrativos e financeiros, business controllers, coordenadores tributários e profissionais de planejamento financeiro e tributário.

Expectativas para 2013
Para 2013, espera-se um cenário positivo para o mercado de contabilidade e finanças como um todo. A crise europeia e os problemas com a economia norte-americana tendem a ser equacionados. No Brasil, investimentos em infraestrutura atrelados à Copa do Mundo, às Olimpíadas e ao Programa de Aceleração do Crescimento (PAC), bem como aportes oriundos da estratégia das multinacionais de ampliar seus resultados no país, devem turbinar a demanda por profissionais.


ENGENHARIA – PROCURA-SE UM ENGENHEIRO, PAGA-SE (MUITO) BEM

O gargalo do setor permaneceu ao longo do período e não mostra sinais de alteração para os próximos anos. Dele advém a variação positiva nos salários. Nem mesmo a crise internacional, que fez o PIB brasileiro andar de lado e provocou alguns congelamentos de vagas em multinacionais, afetou o mercado: ele permaneceu aquecido, graças às empresas nacionais, às startups e à recorrência das vagas nas multinacionais. O crescimento em bens de consumo, infraestrutura, energia e petróleo e gás influenciou a área de forma positiva. A exceção são setores que enfrentam conjunturas adversas, como o automotivo e, em menor escala, metal/mecânica.

Cargos em alta: 
gerentes e engenheiros de projetos e processos, profissionais das áreas de regulatório e energia, gerentes e engenheiros de manutenção, SSMA (saúde, segurança e meio ambiente) e P&D.

Expectativas para 2013
Não estão previstas mudanças nesse clima nos próximos 12 meses, uma vez que o maior aquecimento da economia não encontrará equivalência na oferta de mão de obra especializada. Ademais, a expectativa é que em 2013 haja a demanda por um novo profissional do setor: os gerentes de arenas esportivas, em linha com o cronograma de obras da Copa.



JURÍDICO – AS LETRAS DO NEGÓCIO
 

A grande exposição pública do Poder Judiciário em 2012 reflete a crescente importância que essa atividade está assumindo em nossas vidas. Cada vez mais, as corporações esperam da área jurídica – interna ou terceirizada em escritórios de advocacia – uma compreensão abrangente do negócio, que lhes permita equacionar demandas sofisticadas e prover a devida consultoria para minimizar riscos e capitalizar oportunidades. A escassez de profissionais com conhecimentos específicos em certos segmentos inflacionou a remuneração. Os principais beneficiados foram os profissionais das áreas de mercado de capitais, fusões e aquisições, societário, imobiliário, infraestrutura, energia e compliance.

Cargos em alta: 
os cargos mais demandados por escritórios foram de advogados (pleno ou sênior) para atuar com direito societário, M&A, mercado de capitais ou contratos ligados às áreas imobiliária e energia/infraestrutura. Nas empresas, foi possível notar a prospecção de advogados com o perfil sênior, mais generalista, e com foco em contratos e direito societário, além de gerentes jurídicos.

Expectativas para 2013
A retomada do crescimento econômico, os fortes investimentos em energia, as startups e a intensificação de investimentos das multinacionais devem manter aquecida, em 2013, a demanda de profissionais de compliance e especialistas em infraestrutura e energia.
 



MARKETING – REINVENÇÃO COMO PALAVRA DE ORDEM 

As empresas estão se reinventando: novos produtos e categorias, novos canais e mídias, novos formatos e tecnologias. Na busca da melhor e mais rápida adaptação às necessidades e anseios dos consumidores, a área de marketing tem de prover novas respostas e, por isso, também se redesenha, incorpora novos profissionais e redefine papéis tradicionais. Para entender de tendências, do comportamento do consumidor e da viabilidade financeira do negócio, estamos falando de um profissional generalista e com personalidade empreendedora, que age como o dono da marca ou categoria que gerencia.

Cargos em alta: 
profissionais de mídias sociais, de business intelligence, gerentes de produto, gerentes de desenvolvimento de negócio e profissionais com experiência em MKT esportivo. 

Expectativas para 2013
O cenário de 2012 deve permanecer e se potencializar em 2013. A atualização  das funções, o foco em customer service, incluindo, em B2B, a necessidade de atuação mais eficiente no mundo virtual e as crescentes oportunidades oriundas da Copa do Mundo e também nas empresas e empreendimentos que ela está gerando, como estádios, novas linhas de metrô etc., apontam para um mercado bastante aquecido e dinâmico.


PETRÓLEO E GÁS – AUMENTOS SALARIAIS BEM ACIMA DO MERCADO 

Em todo o mundo, o setor energético é a bola da vez. À crescente necessidade de fontes que permitam a expansão da atividade econômica soma-se a premência de abandonar os combustíveis fósseis. Resultado: falta mão de obra especializada em todo o mundo. E o Brasil não é exceção nesse cenário. Grandes obras do Plano de Aceleração do Crescimento (PAC) na Amazônia, que nos próximos anos deve ocupar um espaço maior na matriz energética nacional, avançam junto com os projetos relacionados ao Pré-Sal e também os investimentos em renováveis. Isso tudo conduziu o reajuste médio de salário no período, que foi de 27,6%, percentual bem acima da inflação.

Cargos em alta: 
Os perfis mais requisitados foram os de desenvolvimento de negócios e gestão de contas e contratos, engenheiro de vendas, gerências comerciais e gerências regionais.

Expectativas para 2013
A aprovação da 11ª rodada de licitações, prevista para 2013, deve impulsionar os cargos técnicos em exploração e produção, que ficaram em menor evidência no ano anterior, e que são justamente os profissionais menos disponíveis no mercado. Para fazer frente às demandas, três tendências notadas em 2012 devem se intensificar: a maior contratação de mulheres para vagas técnicas, o aproveitamento de aposentados em cargos estratégicos e o treinamento e desenvolvimento de novos talentos.


TI – AVANÇO BARRADO PELA CRISE 

Um mercado sempre aquecido: assim é o dinâmico setor de tecnologia da informação. Contudo, apesar dos bons investimentos nas operações brasileiras e do maior número de projetos, a crise na Zona do Euro fez com que 2012 não fosse excepcional para o segmento. Foi possível notar a elevação na remuneração de alguns perfis pontuais, como segurança da informação, gerentes de TI, gerentes de infraestrutura e analistas de negócios, devido a uma oferta de mão de obra especializada aquém da demanda. Mas, no geral, os salários acompanharam a inflação do período, sem ganhos reais.

Cargos em alta: 
consultores e analistas funcionais de SAP, especialistas em infraestrutura, analistas de negócios e CIOs e gerentes de TI.

Expectativas para 2013
Para 2013, espera-se um cenário mais aquecido, com o arrefecimento do medo dos efeitos da crise europeia. No cenário interno, as obras em infraestrutura devem ter seu ritmo acelerado, por causa da Copa do Mundo, com reflexos positivos também em TI. A HAYS prevê uma demanda mais forte por profissionais especialistas em infraestrutura, tecnologias de virtualização e segurança da informação. Por fim, a busca de especialistas em SAP deve continuar acima da oferta do mercado, gerando boas oportunidades para quem optou por essa seara. 


VENDAS – MUITO ALÉM DO PRODUTO 

Nos últimos anos, o setor tem passado por um extreme makeover que vem atraindo mais candidatos para o segmento. E não é por acaso: a atividade se sofisticou e hoje engloba ferramentas, práticas e especializações muito estratégicas, enriquece a vivência de quem, naturalmente, encontra-se mais próximo das necessidades do cliente. A outra grata novidade foi a consolidação da área de trade marketing. Híbrida de vendas e marketing – e geralmente alocada entre as duas -, essa especialização costumava ser vista como mero apoio e, como tal, tinha um teto baixo de carreira. Mas ela se tornou imprescindível na engrenagem do processo comercial, pois é responsável pela implementação de estratégias e conceitos de marketing para a execução e operação de vendas.

Cargos em alta: 
diretores de trade marketing, profissionais de go-to-market, ou route-to-market, que analisam as oportunidades e entregas da mercadoria, buscando melhorias no processo, especialistas no comportamento de shoppers, responsáveis por entender quem são os compradores da categoria, profissionais de desenvolvimento de canal e novos negócios, key accounts e para startups, além de profissionais especializados no setor de energia.

Expectativas para 2013 
A continuidade de um cenário promissor, aliás, é realidade em todas as áreas de vendas: apesar de se esperar uma retomada tímida da expansão do PIB, o bom momento do mercado de consumo e de setores como o agronegócio e a construção pesada deve turbinar a atividade de vendas em todas as cadeias de valores. A vinda de mais empresas para o Brasil, em resposta à crise do Hemisfério Norte, bem como a ênfase em resultados por parte das multinacionais, aprofundará a tendência de sofisticação e eficiência da atividade: as novidades surgidas em 2012 vieram para ficar.


IMPOSTOS – COMO CONTORNAR O CUSTO BRASIL

Com a mais elevada carga tributária dos BRICs e 67% acima da média da América Latina, o Brasil tem nos impostos um de seus principais custos. Reduzir esses gastos, portanto, é um dos caminhos para as empresas ficarem menos expostas ao chamado Custo Brasil. Dessa lógica, deriva não só a alta demanda por especialistas em tributos registrada em 2012, como também a preferência por profissionais estratégicos, qualificados a realizar um planejamento eficiente e preciso, que gere economia nos impostos diretos e indiretos.

Cargos em alta: 
gerentes de tributos, profissionais que dominam regimes especiais, especialmente em petróleo e gás e trade compliance manager.

Expectativas para 2013
Esse movimento deve persistir em 2013. Investimentos em energia, incluindo o Pré-Sal, a proximidade da Copa do Mundo e um ritmo mais intenso no Plano de Aceleração do Crescimento (PAC) devem turbinar a economia brasileira.


COMPRAS – TOQUES DE SOFISTICAÇÃO 

Apesar de uma expansão tímida do PIB em 2012, sinalizando uma economia que pouco avançou, o mercado de procurement manteve-se aquecido. Motivo: a crescente sofisticação da atividade, que cada vez mais requer profissionais com habilidades de relacionamento interno e externo, visão de negócios e pensamento estratégico para olhar toda a cadeia, identificar os pontos críticos e oferecer alternativas de fornecimento que atendam às necessidades de abastecimento no curto, médio e longo prazos. Com isso, saem de cena os compradores, focados apenas em redução de custo e negócios pontuais, e entram gestores, responsáveis pela homologação de parceiros segundo critérios de capacidade produtiva, qualidade, sustentabilidade e também preços.

Cargos em alta: 
gerentes de categoria, gerentes de supply chain, profissionais de business intelligence e coordenadores de compras MRO (Manutenção, Reparos e Operações). 

Expectativas para 2013
Para 2013, a ênfase na qualificação deve andar lado a lado com um movimento de expansão da atividade, turbinada pelos investimentos relacionados à Copa do Mundo, ao Pré-Sal e pela crescente relevância 
do Brasil no planejamento global das multinacionais.


LOGÍSTICA – PROFISSIONAIS E SETOR RENOVADOS

Ao mesmo tempo que a atividade cresce, na esteira dos investimentos governamentais, ela também se torna mais complexa e sofisticada, exigindo profissionais cada vez mais preparados. Foi-se o tempo em que logística era uma atividade operacional: hoje a área assume contornos estratégicos, analisando toda a cadeia para desenvolver soluções que reduzam custos e riscos e elevem a competitividade das empresas.

Cargos em alta: 
gerentes de supply chain, gerentes de customer service, gerentes de planejamento de demanda, coordenação e gerência em operações logísticas e gerencia sênior, com enfoque em projetos e estratégia e profissionais de S&OP.

Expectativas para 2013
Essa crescente busca de um controle maior e centralização na tomada de decisão do planejamento global das empresas deve se manter em 2013. Da mesma forma, as barreiras entre as operações nacionais e internacionais estão caindo: cada vez mais o responsável pelo abastecimento no Brasil cuida também das operações em outros países da América Latina – outra tendência que deve se acentuar no futuro.



SEGUROS – UM ANO HISTÓRICO
 

O ano de 2012 tem tudo para entrar para a história do setor: o crescimento no faturamento registrado no período foi de 21,3% em relação a 2011, segundo a Superintendência de Seguros Privados (Susep) . Por trás dessa vibrante expansão, está uma conjuntura econômica muito favorável, que destoa do resto do mundo. Para a Confederação Nacional das Empresas de Seguros (CNseg), boa parte do incremento na arrecadação do mercado segurador deve-se à expansão da classe C e, em consequência, da poupança interna. Esse fator, somado às grandes obras de infraestrutura e aos investimentos do setor privado na expansão da produção, elevou a demanda por todo tipo de serviço, do seguro-saúde a riscos complexos.

Cargos em alta: 
perfis mais especializados, que podem criar soluções para demandas específicas, como riscos complexos, por exemplo. Também começa a se notar a busca de profissionais de marketing digital que possam contribuir com as estratégias on-line das seguradoras.

Estratégias para 2013
Para 2013, espera-se um maior número de cargos em resseguros, em linha com sua gradual abertura, em curso desde 2008. Os perfis especialistas devem continuar em alta, principalmente em grandes riscos – área na qual o Brasil não tem forte tradição.


CIÊNCIAS DA VIDA – VITAMINADAS PELA CLASSE C 

O crescente consumo da classe C, que cada vez mais investe em planos e tratamentos, fortaleceu a musculatura do setor de ciências da vida, que também foi vitaminado pelos investimentos governamentais na oferta de remédios, construção e equipamento de hospitais e postos de saúde. Por fim, a estratégia do setor privado de investir em tecnologia para oferecer mais e melhores serviços faz com que essa cadeia de valores exiba balanços e perspectivas muito saudáveis.

Cargos em alta: 
gerentes médicos, de acesso, de licitação de trade marketing e consumer, além de gerentes de vendas para o mercado de medical devices. 

Expectativas em 2013
E o check-up de 2013 deve confirmar os indicadores positivos da saúde desse mercado. A recuperação da economia na Europa deve influenciar favoravelmente as atividades no Brasil, que possivelmente serão marcadas por mais um período de fusões e aquisições, início das operações de startups e ampliação do segmento de medical devices.


VAREJO – COM KNOW-HOW INDUSTRIAL 
Nascidas geralmente de negócios familiares, as empresas de varejo buscam sofisticar suas operações para fazer frente aos desafios – e oportunidades! – trazidos pelo maior acesso ao crédito, pela ascensão da classe C, pela expansão do mercado de luxo e pelos crescentes investimentos internacionais no país. Para tanto, uma tendência tem sido a busca de profissionais na indústria, em empresas com estruturas mais robustas e processos bem definidos, que possam trazer o know-how e a experiência adquiridos nessas grandes empresas, tidas como escolas para o segmento de varejo.

Cargos em alta: 
gerentes de produto, gerentes regionais, supervisores de lojas e franquias e gerentes de expansão. 

Expectativas para 2013
No próximo ano a tendência apresentada deve ser uma constante, com forte crescimento e investimentos ainda maiores, tanto de empresas consolidadas como de novos entrantes, incluindo grandes empresas que estão investindo em retails e lojas próprias, dentro de sua estratégia de novos negócios.

 

Compartilhe nas redes sociais!

Enviar por e-mail