“Ilusão” na gestão

Olavo Dias
25 de outubro de 2017

Segundo mágico, ilusionismo pode auxiliar o RH a engajar colaboradores

Para engajar a equipe, uma companhia precisa promover ações focadas no estímulo aos seus colaboradores. Transmitir os valores da empresa aos funcionários por meio de um truque de ilusionismo pode ser uma boa opção. Isso mesmo, você não leu errado. É o que sugere Issao Imamura, ilusionista brasileiro.

O mágico garante que a ilusão pode ajudar na gestão de pessoas e, com isso, criou o que ele chama de ilusionismo estratégico, com o objetivo de provocar reflexões incomuns na platéia. E para as companhias, o método auxilia as equipes a trabalharem mais a comunicação interpessoal e aprimorar o instinto de liderança necessário dentro de uma empresa.

Mas, qual o “truque” para uma empresa ter uma boa gestão de pessoas? Para o mágico, o segredo é justamente seguir um dos princípios do ilusionismo: olhar para onde todos olham e enxergar aquilo que ninguém vê. “Se o mercado vê a escuridão, que todos da empresa enxerguem a luz. Se a maioria olha para a crise, que a empresa enxergue oportunidades”, analisa Imamura. Observar a realidade da empresa por um novo olhar proporciona à equipe uma nova mentalidade para superar problemas e provocar mudanças significativas tanto no ambiente interno quanto no mercado de trabalho.

Impactar a vida é o primeiro – e talvez o mais importante, segundo Imamura – passo para transformar a visão do colaborador. “O fato de a apresentação ser considerada irrealizável aos olhos da platéia é o ‘x’ da questão, já que ao praticar um feito considerado irreal pela perspectiva do observador, o ilusionista mostra que aquilo que parecia impossível talvez se torne possível caso eu tente alterar aquela realidade. Ou seja, o impossível é uma ilusão”, pondera o mágico.

Compartilhe nas redes sociais!

Enviar por e-mail