Gestão

Mais presença feminina

Da Redação
12 de novembro de 2014
Case Renault-Nissan - Maior presença feminina / Crédito: Shutterstock
Crédito: Shutterstock

Elas, definitivamente, vão ganhando o mercado de trabalho. Já é realidade a inversão de papéis — a mulher como provedora e o homem na função de “dono de casa”. Apesar de real, ainda são poucos exemplos que encontramos do cenário descrito. De acordo com recentes pesquisas, ainda há barreiras a serem ultrapassadas por elas como conquistar cargos de liderança e atingir a equiparação salarial com os homens. E o mundo corporativo pode ajudá-las nessa tarefa.

Pensando nisso, a aliança das montadoras Renault-Nissan desenvolveu um programa para expandir a presença delas em todos os níveis hierárquicos das companhias. Pelos números apresentados, a estratégia vem dando certo.

“Estamos contratando bastante em mercados emergentes como o Brasil, China e Rússia e, por isso, podemos promover mudanças mais rápido do que em mercados mais maduros. Isso é muito bom para a igualdade de gênero”, afirma Marie-Françoise Damesin, vice-presidente executiva de RH da Aliança.

 

Números do crescimento
* Houve um aumento de 50% no número de mulheres que trabalham na Renault do Brasil em relação a cinco anos atrás;
* Desde 2009, dobrou o número de colaboradoras nas linhas de produção da Renault;
* O número de executivas quase triplicou na Nissan do Brasil em apenas um ano. Atualmente, as mulheres representam aproximadamente 20% de todos os executivos;
* As mulheres constituem 20% do total de colaboradores na sede da Nissan do Brasil e;
* Na fábrica da Nissan em Resende, no Rio de Janeiro, 15% dos colaboradores são mulheres. A Nissan pretende aumentar este número para 25% em 2016.

Compartilhe nas redes sociais!

Enviar por e-mail