Gestão

Manual das mudanças

Da Redação
11 de novembro de 2014
Gestão de mudança / Crédito: Shutterstock
Crédito: Shutterstock

Fusões e aquisições, reposicionamento estratégico, reestruturações ou mudanças de tecnologias geram grande expectativa não só nos líderes como também em toda a equipe. Tal ansiedade e a falta de preparação fazem com que muitas organizações cometam erros antes mesmo de iniciar o processo de gestão da mudança. Para não cometer esse equívoco, confira o passo a passo da mudança elaborado pelo consultor e diretor da Strategy Consulting, Jorge Bassalo:

1. Preparar o diagnóstico
“É importante que a liderança perceba que para iniciar qualquer transformação é necessário passar pela fase do diagnóstico, que engloba analisar o momento atual da empresa e verificar o que precisa ser feito para que a empresa alcance seus objetivos com a mudança, a partir da análise do estágio atual”, explica.

2. Criar o senso de urgência
Segundo ele, um dos equívocos mais comuns é quando não se cria um senso adequado de urgência entre executivos e funcionários, se a situação pedir maior agilidade do grupo. “O melhor nesse caso é sempre o bom-senso. Toda a companhia precisa entender as razões da necessidade da mudança e acompanhar o timing em que ela deva ocorrer.”

3. Estabelecer um vínculo de confiança e engajamento
Outro problema ocorre quando o líder não consegue estabelecer um vínculo de confiança e engajamento o suficiente para fazer com que a empresa atue como um time, ou seja, para que todos conheçam as táticas e saibam a hora certa de colocá-las em prática. “Para que a mudança ocorra da melhor maneira possível, a comunicação interna e a externa também devem ser efetivas, alcançando todos os níveis da organização”, acrescenta.

4. Descentralizar as decisões
É fato que o líder tem papel importante na orientação do processo em andamento, contudo centralizar o poder não é o melhor caminho para o desenvolvimento. “Eliminar obstáculos e estruturas que atrapalham a visão da mudança e desencorajam os funcionários. O conceito de descentralização do poder deve ser lembrado frequentemente”, alerta Bassalo.

5. Acompanhar o processo de mudança
As empresas têm a falsa ilusão de que o processo de mudança não apresenta resultados a curto prazo. “Pelo contrário, as transformações devem ser sentidas progressivamente por todos que fazem parte da corporação. Contudo, isso não significa que o sucesso é garantido. É preciso acompanhar o caminho da mudança, para que seja possível consertar possíveis erros ainda em suas raízes”, diz o diretor da Strategy.

6. Incorporar as mudanças à cultura da empresa
E, por fim, um dos erros mais graves: a não incorporação das mudanças à cultura da empresa, já que assim não haverá familiarização entre a companhia e os colaboradores. “Estruturar a gestão da mudança é um processo complexo, por isso, o ideal é que o corpo executivo conte com a ajuda de profissionais especializados para que seja feito um diagnóstico da empresa de forma parcial e que possa auxiliar na implantação e na condução de uma mudança efetiva e eficaz”, conclui.

Compartilhe nas redes sociais!

Enviar por e-mail