Gestão

Modalidade Gestão de Pessoas – Acadêmica

Da Redação
13 de novembro de 2014
Modalidade Gestão de Pessoas - Acadêmica - Prêmio Ser Humano


Categoria Graduação

Viviane Peçaibes de Mello – Unisinos (RS)
Case: O design estratégico como agente no tratamento da dependência química através de um jogo terapêutico
A autora ingressou na graduação em Design por meio do Prouni com bolsa integral, sem a qual não poderia frequentar o curso em uma universidade particular. O tema escolhido para o Trabalho de Conclusão do Curso foi a forma encontrada de retribuir à sociedade essa oportunidade. E, também, porque, para ela, o design vai além da forma e função dos objetos, possuindo propriedades para ajudar a sociedade e melhorar a qualidade de vida das pessoas. Daí a escolha de um tema vinculado à saúde mental, área distante do design, mas que precisa de inovação.

A dependência química é uma doença carente de ferramentas para auxiliar e potencializar o engajamento dos usuários ao tratamento e fortalecer os laços afetivos quebrados com a família em função do vício.
O case é a construção de um jogo de tabuleiro composto de cartas e casas de ação, com o objetivo de ajudar os participantes a aprender conceitos da psicoeducação, criar estratégias de prevenção à recaída, e trabalhar em equipe com o seu familiar na dramatização de uma situação de risco, promovendo, assim, a aproximação dessas pessoas.

É uma espécie de “simulação” do dia a dia de um paciente e sua família, que permite tratar de assuntos sérios de forma lúdica e leve. Assim, o aprendizado dos conceitos e as estratégias criadas durante o jogo são mais eficazes e melhor assimilados, auxiliando na manutenção da abstinência e envolvendo o paciente e a família no tratamento.
Mais informações:vivianepecaibes@gmail.com 

Categoria Pós-Graduação
Andréa Galhardo Monteiro Alves, Jorge Luiz Monteiro Arruda e Juliane Cristina Ferreira Salgueiro – Universidade Federal de Pernambuco/Centro de Ciências Sociais Aplicadas/Depto. de Ciências Administrativas (PE)
Case: Habilidades essenciais de consultores à luz dos modelos de consultoria de Chris Argyris,
Edgar Schein e Peter Block
A complexidade dos ambientes organizacionais e o questionamento sobre soluções salvadoras, conduta ética dos consultores e modismos gerenciais a partir do século 20 passaram a exigir consultores mais competentes. Visando identificar as habilidades essenciais para que os consultores atuem com mais eficácia, foi desenvolvido um estudo entre as habilidades postuladas pelos teóricos Argyris, Schein e Block, por eles entenderem a consultoria organizacional como processo de ajuda.

O estudo resultou numa síntese comparativa das habilidades, convergências, divergências, complementaridades e lacunas identificadas nas suas percepções e nas seguintes conclusões:

a) necessidade de aprofundar a compreensão do modelo de intervenção proposto por esses teóricos;
b) verticalização na compreensão dos significados das habilidades propostas para favorecer a sistematização e uniformização da nomenclatura, objetivando dar consistência à construção de um quadro de habilidades essenciais ao consultor;
c) habilidades técnicas, por si sós, não dão conta das exigências atuais das organizações demandantes de consultoria externa;
d) a atividade de intervenção deixa de ser uma proposta de trabalho unilateral e passa a considerar axiomática a inclusão do sistema-cliente no processo de intervenção; assim, requerem-se do consultor habilidades que o diferenciem para exercer a consultoria num modelo mais orgânico.
Mais informações: galhardoandrea@hotmail.com / jarruda@smartsat.com.br / jsalgueiro@hotlink.com.br 

Cleomir Vaz – Univille – Universidade da Região de Joinville (SC)
Case: A personalidade humana e a geração de resíduos sólidos industriais: um estudo de modelo psicológico
O case teve como motivação identificar se as características comportamentais das pessoas as movem para uma atuação profissional de satisfação e resultado, assim como buscar compreender e não simplesmente julgar as pessoas.

O trabalho objetivou avaliar a relação de diferentes modelos mentais psicológicos com a geração de resíduos sólidos industriais. “Quantiqualitativa”, a metodologia foi aplicada em uma empresa do segmento têxtil, utilizando como base a definição do modelo mental dos colaboradores, com aplicação e análise do teste psicológico QUATI, distribuição dos colaboradores por modelo mental psicológico em células de trabalho e avaliação da geração de resíduo por célula.

Os resultados mostraram que colaboradores com modelo mental racional e cuidadoso geraram menor quantidade de resíduos e aqueles com modelo mental experimental geraram maior quantidade de resíduos se comparado com o índice atual da empresa, permitindo uma melhor composição de colaboradores por célula.

O impacto financeiro apontou no setor estudado uma economia de matéria-prima de R$ 700 mil ao ano. Os resultados de cunho comportamental contribuem para uma gestão de pessoas voltada tanto para o potencial relacionado ao perfil quanto para a otimização do capital humano na redução da geração de resíduos, fazendo com que organizações possam realmente se tornar ecoeficientes e mais rentáveis.
Mais informações:psicologocleomir@yahoo.com.br 

Compartilhe nas redes sociais!

Enviar por e-mail