Gestão

Muita coisa ao mesmo tempo…

Da Redação
14 de Janeiro de 2015
Report*
O relatório anual Cisco Connected World Technology Report examina a relação entre o comportamento humano, a internet e a difusão da rede. Analisar essa relação revela dados sobre como as empresas vão se manter competitivas em meio à influência das novas tendências de estilo de vida. O relatório, baseado em pesquisas de profissionais com idades entre 18 e 50 anos, em 15 países, fornece informações sobre os desafios enfrentados pelas empresas no esforço de equilibrar a necessidade dos funcionários atuais e futuros com as necessidades dos negócios, em um contexto de crescente mobilidade, riscos de segurança e tecnologias de informação cada vez mais onipresentes.

As demandas das gerações X e Y (esta também chamada de Millenials) para adoção de modelos flexíveis de trabalho foram atendidas pelas empresas, que alteraram suas próprias políticas para acomodar essas mudanças de atitudes. Essa é uma das conclusões do relatório Cisco Connected World Technology Report* (CCWTR) de 2014, que também revelou que até 2020 a maioria dos profissionais dessas gerações acredita que os smartphones e os wearables (ou aparelhos “vestíveis”) serão os dispositivos “conectados” mais importantes na força de trabalho, enquanto que o laptop continuará sendo o instrumento escolhido para o local de trabalho.

Em geral, o estudo demonstra como a tecnologia está fundamentalmente moldando o futuro do trabalho e como os dispositivos, aplicativos e soluções preferidas dessas gerações estão possibilitando novas formas de trabalho, incluindo a ascensão do estilo supertasker, utilizando quatro dispositivos. A tecnologia também está possibilitando mudanças na forma como os profissionais e as empresas enxergam o trabalho remoto (44% dos profissionais Millenials se sentem mais produtivos no escritório), o uso de aplicativos (seis em cada 10 entrevistados preferem a caneta e o papel ao aplicativo de anotações mais moderno) e os profissionais de recrutamento de talentos globais (50% dos gestores responsáveis por contratação afirmam que contratariam por entrevistas realizadas apenas por videoconferência). Confira, a seguir, as principais conclusões do estudo.
  
A era do supertasker?
* Mais de quatro em cada 10 profissionais das gerações X e Y, bem como cerca de seis em cada 10 profissionais de RH, se consideram um supertasker (definido como um indivíduo que pode realizar com sucesso mais de duas coisas ao mesmo tempo, e fazê-las bem).
* Os profissionais de RH acreditam que os supertaskers elevam as expectativas de “alta performance” nas empresas e, sendo assim, a maioria acredita que esses profissionais são os mais adequados para uma vaga de gerência, de um colaborador individual ou uma função executiva.
*Cerca da metade dos profissionais das gerações X e Y acredita que o modelo supertasking de trabalho torna um indivíduo mais produtivo. Da mesma forma, profissionais de RH (62%) acreditam, predominantemente, que os supertaskers aumentam a produtividade da empresa.
* Quase 2/3 dos entrevistados acreditam que, até o ano 2020, supertasking será a qualidade mais procurada por sua empresa.
* A maioria indica que aprendeu a se tornar um supertasker administrando sua própria vida, e uma grande parcela normalmente mistura as atividades de trabalho com suas atividades pessoais, especialmente os profissionais da geração X (70%).

#Q#  

O futuro do RH e do recrutamento / Crédito: Shutterstock
Crédito: Shutterstock

Geração X versus geração Y
* Os profissionais da geração Y (millenials) estão mais propensos a confirmar que são “totalmente ligados” no trabalho, diferente dos funcionários geração X, quando se trata de eficiência e multitarefa. Mais especificamente, 56% dos profissionais da geração Y observam que são mais eficientes do que os da geração X.
* Mais de quatro em cada 10 profissionais acreditam que os funcionários da geração Y são mais eficazes, quando se trata do estilo supertasking, se comparados a outras gerações.
* 60% dos profissionais da geração X e 81% dos profissionais de RH acham que os profissionais da geração Y são capazes de realizar tarefas com mais agilidade que os mais velhos, utilizando dispositivos móveis e aplicativos.
* Além disso, sete em cada 10 profissionais de RH acreditam que os funcionários da geração Y são capazes de realizar tarefas com mais agilidade se puderem utilizar seus dispositivos móveis e aplicativos, em vez de PCs desktop, laptop ou notebook.

A gestão das gerações
*Quase 2/3 dos profissionais da geração X e mais de oito em cada 10 profissionais de RH já foram ou são atualmente responsáveis pela gestão de funcionários das gerações X e Y.
* Entre os que gerenciaram funcionários de ambas as gerações, a maioria observa que os profissionais Xs são mais fáceis de administrar do que seus colegas mais jovens. Embora cerca de 1/3 deles afirmem que ambos são fáceis de gerir.
* Mais de 1/3 dos profissionais da geração X e de RH com experiência em gestão de funcionários da geração Y admite que o maior desafio é lidar com a ambição deles do “eu quero agora”.
* Geração X e profissionais de RH concordam que os gestores, no futuro, terão de adaptar sua abordagem de treinamento, orientação e colaboração a funcionários da geração Y, já que a presença deles cresce entre os profissionais. 

O futuro do RH e do recrutamento
* 58% dos profissionais de RH estariam dispostos a contratar um candidato entrevistando-o apenas por videoconferência.
* Quando perguntados sobre os gerentes de contratação em geral, porém, pouco menos (50%) acredita que esses profissionais estariam abertos a contratar alguém sem entrevistá-lo pessoalmente.
* Em se tratando da contratação com base na cultura da empresa, os profissionais de RH dividem-se igualmente entre os que acreditam que obter os melhores talentos ou encontrar os que melhor se adaptam à cultura da empresa seja o fator mais importante.
* 40% dos profissionais de RH acreditam que as habilidades pessoais são mais importantes para os gerentes de contratação quando se busca preencher cargos iniciantes.
 
O estilo de vida always-on
*Mais da metade dos profissionais (X e Y) afirma que está disponível e pode ser acessada para trabalho 24 horas por dia e 7 dias por semana; 3 em cada 10 deles afirmam que estão disponíveis tanto por e-mail quanto por telefone.
*Será que o horário de trabalho das 9h às 17h ainda existe? Horários de trabalho flexíveis estão em ascensão: cerca de 1/4 dos profissionais das X e Y afirma que sua empresa permite que eles trabalhem de casa.
*Entre os empregados de empresas que permitem trabalhar em casa, mais de quatro em cada 10 profissionais da geração Y indicam que eles são mais focados e produtivos no escritório.

#Q#

Flexibilidade no trabalho / Crédito: Shutterstock
Crédito: Shutterstock

  
Flexibilidade de trabalho: na atração
* Cerca de 2/3 dos profissionais acreditam que uma organização com um modelo de trabalho flexível, móvel e remoto obtenha vantagem competitiva sobre outra que exige que os funcionários estejam no escritório das 9h às 17h, todos os dias da semana.
* Cerca de metade dos profissionais das gerações X e Y acredita que o RH de sua empresa esteja se ajustando para oferecer um modelo de trabalho com mais flexibilidade e mobilidade para seus funcionários, apesar de quase 1/3 achar que isso não está sendo feito com agilidade suficiente.
* Do ponto de vista do RH, 56% afirmam que o seu departamento já implementou ou está planejando implementar um modelo mais flexível e remoto de trabalho.

Flexibilidade no trabalho: salário
* Em geral, os profissionais não estão dispostos a aceitar um corte salarial em troca de maior flexibilidade no trabalho, embora os funcionários de RH demonstrem-se mais dispostos, com quatro em cada 10 deles indicando que aceitariam uma redução salarial. Da mesma forma, os profissionais de RH estão dispostos a aceitar o maior corte de pagamento, com 56% deles aceitando um corte salarial de mais de 10% (contra 35% dos funcionários da geração Y e 34% dos profissionais da geração X).
* Embora o salário seja o fator mais importante para a maioria, a flexibilidade para definir a sua própria agenda ou os recursos para trabalhar remotamente foram apontados como o fator mais importante para um em cada cinco profissionais das gerações X e Y, assim como para 1/3 dos profissionais de RH.

Cenário brasileiro
* Mais de 55% dos profissionais da geração Y costumam ficar disponíveis por e-mail e telefone 24 horas por dia, sete dias por semana.
* 29% dos profissionais da geração X e 27% da geração Y utilizam os smartphones para fazer chamadas.
Os brasileiros utilizam entre 10 e 19 aplicativos diariamente.
* 65% de profissionais da geração Y e 45% da geração X utilizam o tradicional caderno e caneta para anotações.
* Os brasileiros preferem perder a carteira a perder o celular.
* 65% dos profissionais preferem trabalhar no horário comercial e ter tempo para a vida pessoal.
* 88% dos entrevistados são obrigados a ficar no local físico do trabalho de segunda a sexta-feira.
* 59% dos profissionais da geração X e 55% da geração Y não se importariam de ter o salário reduzido em troca de mais flexibilidade no trabalho.
* 74% dos profissionais de RH não veem problema em contratar um novo funcionário sem ter feito entrevista pessoal.

 

Compartilhe nas redes sociais!

Enviar por e-mail