Gestão

Mulheres na liderança

3a. edição do Fórum Women in Leadership, em São Paulo, discutiu o gap da paridade de gênero no ambiente corporativo

Da Redação
3 de julho de 2018

Segundo pesquisa Global Gender Gap Report 2017, relatório lançado anualmente pelo Fórum Econômico Mundial, o Brasil ocupa a 90º colocação dos países onde mulheres estão mais próximas de ter os mesmos direitos que os homens. Em 2016 o Brasil ocupava 11 posições acima.

Na última terça-feira, 26, a revista Harvard Business Review Brasil promoveu a 3a. edição do Fórum Women in Leadership, em São Paulo, que abordou a paridade de gênero e o futuro do trabalho.

Ana de Magalhães, editora-chefe da revista, abriu o fórum apresentando ao público Saadia Zahidi, palestrante e Membro do Comitê Executivo do World Economic Forum e diretora de Educação, Gênero e Trabalho da instituição, que abriu sua fala apontando estudos sobre o gap da paridade de gênero. Zahidi chamou a atenção da necessidade de questionar se as mulheres estão assumindo posições de liderança e alertou: “Quando se trata de liderança esse gap ainda continua sendo muito grande”. Saadia também discorreu sobre sobre os impactos da tecnologia no mercado de trabalho.

Dando sequência ao evento e antes do intervalo, Luciana de Camargo, HR VP at IBM Latin America, discorreu no bloco O poder da minoria – Como ser influente no ambiente masculino.

Programas de Sucesso: cases de empresas e líderes

A Women in Leadership trouxe para esta terceira edição quatro programas de sucesso em cases de empresas e líderes com equilíbrio de gênero. Ana Paula Rezende, diretora-executiva de Talentos e Sustentabilidade América do Sul, da White Martins, destacou o Treinamento Online do Viés Inconsciente e o Workshop com a participação de lideranças masculinas, para abordar o papel do homem na discussão de gênero.

A desigualdade da legislação trabalhista e o bloqueio de algumas mulheres na questão de igualdade de gênero no espaço corporativo, por exemplo, também são barreiras que dificultam o fim das lacunas da paridade de gênero,  e foi parte do que compartilhou Bárbara Galvão, DHO responsável por diversidade na UNILEVER. “Falar de diversidade é falar do humano. As pessoas sempre têm uma opinião sobre diversidade”, disse Bárbara sobre a dificuldade de lidar com o tema. E completou: “A discussão de diversidade não é simples. Ela precisa de um esforço contínuo, que começa claramente com a liderança, mas que é construído muito no dia a dia”.

O bloco das apresentações dos programas de sucesso e cases sobre diversidade também contou com a presença da vice-presidente jurídica de Relações Governamentais e líder da Rede pela Diversidade da AVON, Ana Costa, que, segundo ela, ”não tem como falar de diversidade se a gente não fala de humanidade”; e Fátima Gouveia, superintendência RH e gestora de Diversidade do Santander, que encerrou o bloco e alertou sobre o cuidado que se deve ter ao falar de diversidade e meritocracia. “Meritocracia é você, de fato, ter uma amostra que seja diversa. E aí sobre ela você tomar a decisão do que é melhor”, comentou.

Para encerrar o Women in Leadership, a contribuição dos homens para o fim do gap da paridade de gênero, que contou com a presença de André Villac Abucham, CEO da Engeform; Mauricio Pordomingo, vice-presidente Human Resources da PEPSICO Brasil; e Rubens Weg, General Manager da Bayer.

Compartilhe nas redes sociais!

Enviar por e-mail