Gestão

O desafio de ser forte sem perder a feminilidade

Heloísa Capelas
12 de Março de 2015
Heloísa Capelas / Crédito: Divulgação
Heloísa Capelas é especialista em autoconhecimento e inteligência comportamental

Quem é você como mulher? Que crenças alimentam seus pensamentos e sentimentos? No trabalho, como é sua postura? É dura demais ou é insegura? Você está certa de que é um sucesso ou um fracasso? E como são suas relações? Como mãe ou filha, como você é? Com que qualidade e intensidade tem se dedicado ao seu feminino, à mulher que habita dentro de você?

Está na hora das mulheres olharem para si, fortalecerem e se apropriarem de sua essência feminina, bem como seus diferenciais para a vida pessoal e profissional. As mulheres estão o tempo todo tentando provar o seu valor e isso é um erro. Quando a gente quer provar é porque nem nós acreditamos. Estamos disputando e queremos o reconhecimento. É o momento de a mulher resgatar o seu poder, o poder da sua inteligência, da sua criatividade e da liberdade de ser quem ela é.

Nós já fomos as mulheres que mandavam no mundo. Hoje não queremos mandar, nós queremos compartilhar, queremos encontros, queremos parcerias. É preciso quebrar paradigmas para que a vida possa ser conduzida com mais amor-próprio, autoconfiança, respeito, leveza e sabedoria. Mas, para isso, nós não podemos estar no lugar dos homens, pois somos mulheres e temos o nosso próprio lugar. Nós precisamos usar o poder feminino, que é complementar ao masculino. Não há necessidade de disputa e sim de autoconhecimento para estar no lugar devido usando nossos talentos e colocando nossa inteligência a serviço do nosso crescimento e de nosso entorno.

A mulher também é composta por qualidades do gênero masculino, no entanto, é preciso consciência para equalizá-los de forma a potencializar o que a diferencia por natureza. No feminino reside à força da criação, do olhar holístico, do acolhimento, entre tantas outras. As mulheres que aprimoram seus potenciais e desenvolvimento humano conseguem mais autonomia, posicionamento, bem-estar e qualidade de vida. A partir do autoconhecimento, é possível trabalhar a ênfase no amor-próprio e gerar ganhos de maior autoconfiança, melhor relacionamento consigo, com o ambiente a sua volta, e melhor equilíbrio entre vida profissional e pessoal.

Compartilhe nas redes sociais!

Enviar por e-mail