Gestão

O que eles aprenderam

12 de Fevereiro de 2014

Não é fácil carregar a tarefa de estimular os colaboradores, treiná-los e levantar a bandeira dos valores das companhias em um mundo em constante alteração. O papel do RH é cada vez mais solicitado. Ele é o agente responsável por conduzir as mudanças, as estratégias e investir no espírito inovador das empresas, sem deixar de lado os trabalhos cotidianos do setor.  Para saber como é estar no front e quais são as consequências dessa atuação e seus aprendizados, ouvimos alguns executivos de recursos humanos e gestores de pessoas de empresas de distintos segmentos. Eles falam sobre os desafios e aprendizados que percorreram ao longo da carreira. Confira:


Importância dos gestores







Daniela Mendonça, diretora de serviços da LG Sistemas
 “Ao longo da minha vida profissional, venho ratificando uma convicção que cultivo há algum tempo: a importância da gerência nas empresas. Os gestores têm como responsabilidades transmitir os valores, a cultura e as práticas da empresa; fazer acontecer os objetivos estratégicos; orientar e acompanhar as pessoas das equipes – diga-se de passagem, uma a uma, e não o coletivo. Para isso, precisam entender a importância da sua função dentro da organização: devem se posicionar adequadamente, se desenvolver como líderes, aprender a conviver, e muito bem, com pessoas, enfim, devem ter um leque de competências a serem desenvolvidas. E quanto mais amplo for esse leque, melhor será o gestor. Eu costumo dizer que ´a equipe é a cara do líder´. Uma equipe de bons resultados certamente tem um ótimo líder. E vice-versa.”

Vivenciar o negócio

“O meu maior aprendizado foi reconhecer que, muitas vezes, diferentemente do que se propõe ou discursa, é o próprio RH que impede ou dificulta mudanças importantes para as pessoas, empresas e até sociedade. É preciso vivenciar o negócio, o ambiente de inovações, assumir riscos, quebrar paradigmas e empreender. Quando comecei a trabalhar com sustentabilidade, pude experimentar tudo isso, o que me trouxe um novo olhar para a área. O RH precisa ser menos ´centro de tradições´. Deve assumir a vanguarda, provocar e construir novas soluções para os desafios humanos e organizacionais.”


Beatriz Pacheco, diretora de RH da Porto Seguro

Estar presente sempre







Denílson Lima, diretor de RH da Pfizer Brasil
“Meu maior aprendizado foi quando assumi a liderança de RH de três plantas da Pfizer – Guarulhos, Campinas e Itapevi, todas em São Paulo. Deparei-me com o seguinte desafio: como estar presente sem estar presente todos os dias? Até então essas plantas possuíam um líder de RH exclusivo, quando resolvemos implantar esse modelo de share service. Para manter a equipe unida, investimos em algumas estratégias, como coaching para os líderes, para que eles  pudessem ser os porta-vozes e fazer acontecer. A estratégia deu certo. Nos últimos três anos, conduzimos os trabalhos de uma maneira bem positiva. E agora eu me dedico a esse novo desafio, na posição de diretoria [NR: recentemente, Denílson assumiu a diretoria de RH da Pfizer no Brasil]. “


Alinhar valores

“O maior aprendizado ao longo dos 20 anos na área organizacional foi e continua sendo quanto aos valores. Quando há o alinhamento dos seus próprios valores com os da empresa, realiza-se um trabalho integrado – pessoas e resultados. E uma das questões mais evidentes aqui na Proxis é que acreditamos que, conhecendo as pessoas, suas motivações e suas necessidades, podemos criar um clima favorável ao bem-estar e atingir resultados. Competências como comunicação, relacionamento, conhecimento das pessoas e conhecimento do negocio são fundamentais, e aqui acontece na prática.”


Roseli Faria, gerente de talentos humanos da Proxis

Construir confiança







Fernando Viriato, diretor RH Accor América Latina
“O grande aprendizado que tive na minha carreira foi o da compreensão da força que tem a construção de uma cultura de confiança. Uma cultura organizacional pode ter vários vetores, mas, a longo prazo, esse aspecto, o da confiança entre as pessoas que trabalham em equipe seja no nível operacional, tático ou estratégico, é fundamental para o sucesso de qualquer negócio. O líder de RH deve orquestrar as políticas, práticas e ações dos demais líderes para fortalecer permanentemente este aspecto da cultura.”

Compartilhe nas redes sociais!

Enviar por e-mail