Gestão

Pesquisa investiga o panorama financeiro e orçamentário das empresas no Brasil

73% dos profissionais sentem a necessidade da previsibilidade financeira nas empresas

Da Redação
10 de Abril de 2018

Em sua segunda edição, a pesquisa Budget Trends consultou centenas de profissionais das áreas de Finanças e Controladoria a fim de mapear as principais práticas financeiras e orçamentárias nas empresas, além de identificar tendências de mercado. A pesquisa mostrou que manter o controle do negócio e a queda no faturamento são os maiores desafios enfrentados pelos profissionais da área atualmente. 

A pesquisa Budget Trends 2017-2018 foi realizada via internet pela Treasy em parceria com a Ferreira Filho Associados.

“Essa pesquisa tem se mostrado de extrema importância para diretores e empreendedores conhecerem melhor o negócio por meio dos números. Além de saber o que outras empresas estão fazendo para conquistarem maior segurança nos negócios”, afirma Daniel Fernandes, diretor de Sucesso do Cliente da Treasy.

Dentre as muitas perguntas e respostas, a maior lição dessa edição da Budget Trends é a busca dos diretores e empreendedores para ter a empresa nas mãos. Saber exatamente onde estão os gargalos, conseguir antecipar os problemas e, mais, identificar com maior facilidade as oportunidades.

Essa necessidade de previsibilidade fica evidente ao serem questionados sobre a coisa mais importante, para 72,3% dos profissionais, ter a empresa nas mãos é prioridade, sabendo como antecipar cenários. Na sequência vem: entender alternativas e tendências de mercado, utilizando o que há de melhor dentro da empresa (63,8%) e reduzir custos de forma inteligente (53,9%).

“Queremos, com esse tipo de pesquisa, incentivar a implementação e fortalecimento da cultura orçamentária nas empresas. Acreditamos que o orçamento empresarial é uma poderosa ferramenta de gestão organizacional e fundamental na hora de conquistar a previsibilidade financeira”, completa Daniel.

Destaques da pesquisa
Na Budget Trends 2017-2018, as empresas participantes afirmam que acompanham os principais indicadores econômico-financeiros. Entretanto, afirmaram que o maior desafio da área em 2017 foi a queda de Demanda/Faturamento (53,6%). O pior, é que esse desafio se mantém no topo quando questionadas sobre os desafios para 2018.

Com as ferramentas e profissionais corretos, é possível acompanhar os indicadores ao ponto de eles passarem de ferramenta operacional para estratégica, ou seja, prever quedas e aumentos do Faturamento/Demanda. Assim, é possível analisar os números, simular cenários possíveis e fazer tudo isso com agilidade para ter a segurança que todo empreendedor ou diretor quer.

O desafio está na complexidade do Orçamento. Quanto mais detalhado ele for, mais difícil esse acompanhamento. Por isso é preciso entender o que as empresas costumam acompanhar e onde estão falhando. De acordo com as respostas, verificamos que a maioria acompanha o Faturamento (84,9%), em segundo as Despesas Operacionais (75,9%) e na sequência Gastos com Pessoal (69,5%)

Identificamos também que a maior parte das empresas costumam acompanhar a projeção de Demonstrativo de Resultados – DRE (70%) e de Fluxo de Caixa (68,4%). Essas companhias também extraem os principais indicadores do Orçamento. Entretanto, apenas 31,3% afirmaram tomar decisões baseada nas análises.

Outro ponto de destaque em relação às ações realizadas foi o aumento de 42% em empresas que dizem realizar Planos de Ações em cima das análises dos valores do Orçamento. Nesta edição, 40% dizem criar Planos de Ações.

Principais tópicos da Budget Trends 2017-2018

● Profissionalização da Gestão Econômico-financeira
● Por que fazer Gestão Orçamentária?
● Metodologias e mecânica do Orçamento Empresarial
● Desafios passados e futuros
● Previsibilidade financeira

Compartilhe nas redes sociais!

Enviar por e-mail