Gestão

Ponto de partida

12 de dezembro de 2011

Maria Elizabeth Johann, coordenadora do MBA Gestão de Pessoas da Fundação Getulio Vargas, vê com otimismo a atuação do RH na sustentabilidade corporativa e acredita que os profissionais do setor têm o papel de mostrar a importância do tema à alta direção da empresa. “Essa conscientização pode ser desenvolvida por meio de debates internos, visitas, seminários e, principalmente, por meio de uma articulação perfeita com as diretrizes estratégicas do negócio”, ensina. “Dessa forma, o RH de um grande hospital ou empresa farmacêutica, por exemplo, pode estruturar um programa de palestras sobre cuidados com a saúde não só para o público interno, mas para fornecedores, clientes e a comunidade em geral.”

Assim que tiver o apoio dos dirigentes da companhia, o próximo passo, segundo Maria Elizabeth, é fazer um diagnóstico sobre as atuais práticas de recursos humanos, identificando se já estão alinhadas com as exigências mínimas da legislação vigente. Para isso, algumas perguntas precisam ser respondidas: “A empresa cobre a cota de contratação de pessoas portadoras de deficiência? Quantos menores aprendizes foram contratados? Existem suspeitas de trabalho infantil e de trabalho escravo entre os fornecedores? O Código de Conduta está atualizado? Essas são questões que precisam ser bem analisadas”, enfatiza.

Pesquisa interna
Em paralelo, uma pesquisa interna pode ajudar a equipe a identificar ações de sustentabilidade que já são desenvolvidas “no anonimato”, fruto da iniciativa de funcionários envolvidos com a comunidade do entorno, em igrejas e escolas, por exemplo. “Com esse tipo de levantamento, fica mais fácil estruturar um programa de voluntariado, melhorando o clima organizacional e até aumentando o orgulho dos funcionários de trabalhar na empresa, o que por sua vez leva à retenção de talentos”, ensina a coordenadora. “Um passo mais adiante e inevitável será envolver fornecedores, terceirizados e clientes, pois um dos princípios dessa área estratégica é que os bons exemplos devem ser replicados pela cadeia produtiva. O mundo agradece!”

 

Compartilhe nas redes sociais!

Enviar por e-mail