Principais erros das empresas na gestão de saúde

Da Redação
16 de Maio de 2017

Além dos altos gastos na área da saúde das organizações, causados principalmente pela má gestão dos planos oferecidos como benefícios, muitas empresas comentem erros cruciais em ações de prevenção e promoção a saúde.

Joseane Freitas, idealizadora e diretora de pesquisa & desenvolvimento da Perfix Consultoria Organizacional, empresa especializada em saúde corporativa, afirma que, na maioria das vezes, “as empresas criam programas de forma isolada que pouco resolvem o problema de fato”.

Dados de 2014 da Associação Brasileira de Qualidade de Vida (ABQV) revelam que a maioria das empresas brasileiras afirma ter programas de incentivo à prática de esporte, mas 70% de seus empregados são sedentários.

Ou seja, de acordo com Joseane, é possível concluir que um dos erros primordiais das empresas é a falta de gestão na área. Para ela, antes de tudo, é necessário saber quem são os colaboradores da empresa e quais os indicadores necessitam de atenção. “A falta de indicadores e de uma metodologia na construção de uma boa gestão de saúde é um erro enorme, pois são com esses dados em mãos que o RH poderá agir antecipadamente para controlar custos por meio de ações preventivas.” Portanto, antes de criar inúmeros programas de promoção e/ou prevenção ou mesmo de realizar a troca de operadora do plano de saúde, o primeiro passo deve ser identificar quais indicadores a empresa precisa reduzir e começar um planejamento e plano de ação a partir desse ponto.

Outro erro citado por Joseane é o fato de muitas empresas se preocuparem e cuidarem apenas dos colaboradores incluídos em grupos de risco.

Pesquisas sobre qualidade de vida mostram que 10% da população saudável das organizações migram todo ano para o grupo de alto risco quando não é cuidada. “Os programas e cuidados desenvolvidos pelas empresas devem levar em consideração todos os colaboradores e não apenas grupos específicos. O ideal é mapear os perfis existentes na organização e criar as ações com base nesses dados”.

A prevenção é sempre a melhor forma de se trabalhar a fim de evitar problemas maiores tanto para as empresas quanto para seus colaboradores, mas de nada adianta a realização de ações genéricas que não levam em consideração as particularidades do próprio negócio e perfil de colaboradores, pois não haverá o alcance de resultados, avalia a consultora.

Joseane ressalta também que, quando a gestão da saúde é realizada de forma planejada, com eficácia e eficiência, a empresa obtém ótimos resultados. Colaboradores saudáveis garante uma produtividade maior e com mais qualidade, estando mais dispostos e motivados para executar suas atividades.

Compartilhe nas redes sociais!

Enviar por e-mail