Profissional do futuro

0
502

Um RH inovador se caracteriza pelo espírito empreendedor e por superar os limites tradicionais da sua posição. A afirmação de Luiz Edmundo Rosa, diretor de educação da ABRH-Nacional, ajuda a entender o perfil esperado de um profissional dessa área nos dias de hoje, de elevada competitividade. Mas o que esperar das futuras lideranças de recursos humanos? E mais: como formar esses líderes? Nesta entrevista, Luiz Edmundo mostra alguns caminhos para isso.

MELHOR – O RH está preparado para esse novo cenário de competitividade?
Luiz Edmundo –
No Brasil, o RH tem uma missão relevante para ajudar as empresas e o seu país a serem mais competitivos. Começa por ser o elo que integra o enorme contingente de jovens que busca ingressar no mercado. Sabemos que é imenso o número dos que chegam despreparados para a vida e para o trabalho. Graças a bons programas de cultura, educação e treinamento, eles despertam para a cidadania e descobrem valores essenciais. Aprendem a pensar, a trabalhar em equipe, a tomar iniciativa e se transformam em excelentes profissionais. A contribuição de RH é imprescindível para recuperar parte do tempo perdido com escolas ineficientes e famílias que não conseguem educar. Mas o trabalho de RH precisa cobrir outras deficiências, cuidando da alimentação, da saúde, do estímulo à inovação, até chegar à melhoria da produtividade e da competitividade. Cabe ao RH, também, cuidar do seu próprio desenvolvimento, num mundo que se transforma em alta velocidade. Aí é que está o desafio. Cursos oferecidos para preparar o RH, salvo exceções, estão distantes do que precisaríamos. Muitos estão presos a conceitos do passado, sem levar em conta que o mundo se tornou digital, em rede, impulsionado pela tecnologia e inovação. Muitos que optam por fazer um MBA executivo se queixam de que, no curso, o tema RH é uma ilha isolada num oceano repleto de finanças e outros temas que pouco contribuem para a modernidade de RH.
 
Que tipo de liderança de RH o mundo corporativo demanda hoje?
Espera-se de RH um líder inspirador, focado no negócio, na melhoria da estratégia, inovação e resultados. Sua nova visão deve incluir todos os stakeholders como sua prioridade para criar valor. Significa que, além dos colaboradores da empresa, há acionistas e investidores que esperam melhores resultados. Adicionalmente, clientes, fornecedores, sindicatos, mídia e comunidades podem se beneficiar de um bom trabalho de RH.
   
Não existe organização inovadora sem uma boa liderança. Podemos inferir, assim, que não existe um RH inovador sem uma boa liderança nessa área?
Sem dúvida, é difícil separar o trabalho de RH da empresa, sua cultura e seus líderes. Pode-se dizer que, geralmente, a companhia tem o RH que merece. Há uma relação de causa-efeito difícil de ser separada. Empresas ousadas e criativas costumam ter RHs inovadores e realizadores. A aérea não deve ser passiva e nem reclamar dos limites. Eles são desafios à imaginação para superá-los. Quando o RH contribui para desenvolver novos e melhores líderes, ganha uma força maior para transformar suas empresas, ganhar competitividade, com um ambiente saudável e desafiador, capaz de atrair talentos.
 
E o que caracteriza um RH inovador?
É o que tem espírito empreendedor e supera os limites tradicionais da sua posição. Todo o trabalho de RH oferece oportunidades de melhorias e inovação, mensuráveis em resultados tangíveis. Há ótimos exemplos em que a área foi decisiva para vender, gerar novos produtos, alcançar níveis elevados de produtividade e de satisfação das equipes, melhorando relacionamentos, margens e imagem.
 
Quais os desafios atuais na formação dos profissionais de RH?
Creio que seja integrar a visão humana com a de negócios para criar valor para seus públicos-chave e que se traduzam em resultados. A área não precisa se orientar só por uma perspectiva financeira e de eficiência de seus sistemas e processos. Seu potencial de criar valor está nas pessoas, na sua capacidade de se aprimorar, inovar, engajar e alcançar melhores resultados. 

 A ABRH-Nacional e o Great Place to Work (GPTW) lançam, em outubro, um programa para a formação dessa liderança. Qual vai ser a abordagem desse curso?
Será um programa inovador, voltado para desenvolver os líderes de RH – seja a primeira pessoa da área ou alguém que a empresa esteja preparando. Seu formato é de uma pós-graduação, em nível de especialização, e vai se estender por cerca de um ano, utilizando a tarde e a noite de sexta e o sábado, duas vezes por mês. Além disso, terá três semanas intensivas, uma no início do programa, outra no meio e a terceira no final. Tudo foi pensado para que o participante possa trabalhar e aplicar o que aprendeu, gerando resultados ao longo do programa.
 
Qual o diferencial desse programa?
Queremos contribuir para preparar o novo RH com uma direção clara: inovar, criar valor e gerar resultados significativos. Não será um curso generalista ou mais um MBA, mas um programa exclusivo do RH que quer investir na carreira e ampliar a contribuição dele na empresa. Por isso, em vez de professores e aulas tradicionais, vamos contar com uma equipe de profissionais apaixonados pela causa de RH que vão compartilhar seus conhecimento e experiências, na qual se incluem presidentes de empresa e executivos do Brasil e exterior. O curso usará o que há de mais moderno para favorecer o aprendizado. Não queremos despejar conteúdos, mas criar oportunidades únicas para aprender com quem sabe fazer. Além disso, ele vai permitir ao profissional conhecer as práticas de sucesso das empresas vencedoras do GPTW no
Brasil e exterior.

Ele terá acesso a cases de vários países, então.
Sim, uma boa ideia pode vir daqui ou do Japão, Coreia, EUA, Índia ou outro país. Isso será valioso para favorecer a inovação nas nossas empresas e aprimorar iniciativas. Queremos proporcionar uma experiência enriquecedora para o participante pensar, refletir e agir, sempre com pragmatismo. O curso vai abordar questões empresariais e de gestão de pessoas, propiciando avaliar soluções, com a perspectiva de futuro. Começamos aprofundando o macroambiente, o entendimento das mudanças. Analisamos as melhores estratégias de RH, a gestão do capital humano e os processos de RH. Em seguida, focamos a inovação e como podemos gerar valor e obter resultados diferenciados.


 

Anote
Programa O Novo RH: Desenvolvendo líderes de RH, gerando valores e resultados
Início: 22 de outubro de 2012
Consultas e inscrições: www.abrhnacional.org.br

Um time de mestres

Entre os profissionais confirmados para o curso estão: Almiro dos Reis, Andrea Huggard-Caine, Betânia Tanure, Luiz Cabrera, Carlos Parente, Cassio Mattos, Claudia Falcão, César Souza, Cecília Andrade, Elaine Saad, Eugênio Mussak, Françoise Trapenard, Jean Bartoli, Joe DiStefano (IMD), José Tolovi, Leyla Nascimento, Lilian Guimarães, Lívia Santana, Luiz Rosa, Marcelo Arantes, Magnus Apostólico, Márcio Camargo,  Maria Paiva (Malu), Ricardo de Marchi, Ruy Shiozawa, Sofia Esteves, Thereza Abraão, Vera Mercier (França), Vicky Bloch e Wagner Brunini.

 

[fbcomments]