Carreira

Profissional do futuro precisa ter fácil adaptação para o mercado

Número de empregos perdidos por conta de avanços tecnológicos pode chegar a 7,1 milhões em 2020

Da Redação
9 de Abril de 2018

Avanços tecnológicos, robotização, desaparecimento de profissões. Essas são algumas palavras bastante comuns no vocabulário do mercado de trabalho atual. Segundo um estudo do Fórum Econômico Mundial, no relatório Futuro do Trabalho, até 2020 o número de empregos perdidos devido a avanços tecnológicos e a fatores socioeconômicos pode chegar a 7,1 milhões. Dessa forma, será preciso se reinventar. 

Segundo o especialista em liderança e gestão, Renato Grinberg, o profissional do futuro será aquele que terá alta capacidade para se adaptar a mudanças constantes no mercado. “Com os avanços tecnológicos, algumas funções podem acabar desaparecendo. Assim, os profissionais terão duas possibilidades: serem desligados ou realocados. Assim, aqueles que possuírem uma boa característica de adaptação a novos trabalhos terão mais oportunidade de manter seus empregos”, explica.

Ainda de acordo com Grinberg, profissionais que atuam em profissões que podem ser automatizadas ou que o consumidor pode fazer o trabalho daquele profissional, deverão ficar mais atentos. “O Brasil ainda mantém profissões como ascensorista ou frentista. Nos EUA essas profissões já desapareceram há muito tempo e a tendência é que desapareçam no mundo todo”, destaca.

O futuro das carreiras nas startups – Um mercado que tem se destacado constantemente é o de startups. Para Grinberg, muitas das grandes empresas começaram com esse modelo no passado, porém, ainda não se conhecia com essa terminologia. Assim como as grandes empresas que já se consolidaram, o especialista acredita que o modelo de startups continua sendo o futuro das empresas. “Tanto no passado, no presente, como futuro, só existirá uma economia saudável se houver um fluxo contínuo de startups”, afirma o especialista em gestão.

Para essas empresas, o perfil profissional que se espera é aquele que saiba lidar com as incertezas inerentes a uma startup e que tem muita resiliência para vencer os desafios que uma startup vive. “O profissional essencial para uma startup é aquele que consegue resolver os problemas independentemente da sua área de atuação, ou seja, aquele que é flexível e adaptável”. Já para os gestores, Grinberg lista como principal característica a capacidade de motivação de suas equipes. “Alguns líderes, com certeza, têm essa característica mais naturalmente, porém, essa é uma habilidade que pode e deve ser desenvolvida ao longo do tempo”, finaliza o especialista.

Para aqueles que desejam aprender sobre essas habilidades, uma opção é o ensino a distância. A Descola, escola de cursos online, tem como foco potencializar as características comportamentais dos alunos para que possam inserir os conhecimentos adquiridos na vida pessoal ou no trabalho, sempre enfatizando os temas pertinentes para os profissionais do futuro. Por meio de videoaulas e com capítulos de curta duração, são oferecidos cursos nas áreas de empreendedorismo, inovação e criatividade, como: Habilidades do Futuro, Carreira Dinâmica, Storytelling, Design Thinking, Visual Thinking, Growth Hacking e Gestão Horizontal.

Compartilhe nas redes sociais!

Enviar por e-mail