Quase 80 mil pessoas passaram pelo ABRH na Praça 2013

21 de Janeiro de 2014

Com o tema Carreira, trabalho e educação para um mundo melhor!, o ABRH na Praça ofereceu, na sétima edição, serviços gratuitos e informações sobre o mundo do trabalho para promover a inserção profissional e o upgrade na carreira da população em geral. A edição de 2013 aconteceu simultaneamente em dez estados no dia 18 de outubro (a ABRH-PR realizou excepcionalmente no dia 5). Ao todo, 1.087 voluntários atenderam cerca de 77,5 mil pessoas. “Não há como ignorar o papel social que nossa associação exerce dentro e fora das organizações e o show de voluntariado a cada edição do ABRH na Praça”, diz Leyla Nascimento, presidente da ABRH-Nacional.

Na Bahia, pelo segundo ano consecutivo, o evento foi realizado em duas etapas – no dia 17 em Salvador e no dia 18 em Feira de Santana. “O que fica gravado em nossas mentes e corações não são os números de atendimentos, mas o brilho no olhar de cada pessoa em busca da realização de seus sonhos, no que se refere a obter uma colocação no mercado de trabalho ou aprender algo novo que lhe ajude nessa meta”, avalia Maria Litza Matos, diretora da ABRH-BA – Núcleo Feira de Santana.

Em João Pessoa (PB), a presença dos mais jovens chamou a atenção. “Com a proximidade da Copa do Mundo, está surgindo a grande oportunidade de ingresso no mercado de trabalho. Foram atendidos jovens a partir de 16 anos em busca de informações sobre o projeto Jovem Aprendiz do Senai/Sesi”, conta Maria da Penha Silva dos Santos, presidente da ABRH-PB.

Na capital fluminense, a população também quer aproveitar o bom momento por conta dos grandes eventos. “Aqui, a oferta de emprego cresceu até 20% em alguns setores. Vimos um público bem empolgado com esse cenário”, destaca Paulo Sardinha, presidente da ABRH-RJ.

Inserção profissional
A busca por oportunidade de trabalho também deu o tom em Manaus (AM). Para a presidente da ABRH-AM, Ozeneide Casanova, o ABRH na Praça cumpriu a missão de desenvolvimento da cidadania, inclusão social e inserção profissional.

Diferentemente do que se pode esperar, em alguns estados, a demanda maior não foi por orientação profissional. Um exemplo é o Ceará, que realizou o evento em Juazeiro do Norte. “O movimento maior se deu no Espaço Saúde, onde foram oferecidos serviços como aferição de pressão e aplicação de flúor”, relata Josefina Maria Silva Macêdo Santana, diretora executiva da ABRH-CE – Núcleo Cariri.

Saúde e qualidade de vida também foram a preferência em Maringá (PR), onde a ABRH-PR foi surpreendida pelo movimento em outro espaço: a tenda Terceira Idade, que deu orientações sobre temas como aposentadoria rural e urbana e Direito do Estatuto do Idoso.

A ABRH-SP, que há dois anos passou a levar o ABRH na Praça para o interior, realizou esta edição em Bauru, onde as tendas de educação e cidadania geraram maior interesse. A “interiorização” do evento, segundo Almiro dos Reis Neto, presidente da associação, visa a ampliar a representatividade da associação no estado.

Já em Aracaju (SE), a ABRH-SE teve maior demanda por orientação profissional e elaboração de currículos, enquanto em Belo Horizonte (MG) a emissão de Carteira de Trabalho foi o serviço mais procurado. Por fim, em Belém (PA), a ABRH-PA contemplou pela primeira vez um espaço em parceria com a Associação para Valorização de Pessoas com Deficiência (Avape), dedicado à inclusão dessa fatia da população no mercado de trabalho.

“Foi emocionante contribuir com um público tão diversificado. Esse evento é uma oportunidade para mostrar o quanto os voluntários da ABRH podem auxiliar a população, compartilhando conhecimento, orientando e gerando novas perspectivas para muitas pessoas que ali buscaram orientações”, avalia Danielle Quintanilha Merhi, presidente da ABRH-ES, que realizou o evento em Vila Velha. 

Compartilhe nas redes sociais!

Enviar por e-mail