Fornecedores de Confiança

Quem é o chefe

Da Redação
6 de junho de 2017

Ter uma equipe composta de colaboradores experientes em constante aperfeiçoamento, conscientes de que sem clientes não há empresa. Para José Carlos Bonfiglioli, presidente da Jobcenter do Brasil, esse é um dos fatores para estar atento às demandas do mercado. “O cliente é o nosso chefe e o único que pode demitir todas as pessoas da empresa, do presidente ao faxineiro, simplesmente levando o seu dinheiro para gastar com outro fornecedor”, diz.

Na sua opinião, qual o segredo de ser uma empresa de confiança?
A legislação vigente impõe responsabilidade solidária das empresas clientes para com as empresas prestadoras de serviços em relação ao cumprimento dos direitos trabalhistas e previdenciários dos temporários e terceirizados. Por essa razão, os objetivos dos sócios da Jobcenter, desde a fundação da empresa em abril de 1984, sempre foram os de oferecer ao mercado uma empresa modelo do setor, com prestação de serviços obedecendo aos mais rigorosos princípios éticos e com excelente qualidade comprovados. Para tanto, oferecemos transparência nos negócios e total liberdade aos clientes para realização de auditorias fiscais e contábeis que sejam dos seus interesses, garantia por cláusula contratual.

Que ações sua empresa possui para manter a equipe capacitada e sempre pronta para atender o cliente?
O foco no atendimento às necessidades dos clientes de forma personalizada e com assessoramento técnico sempre distinguiu a atuação da Jobcenter no fornecimento de temporários e terceirizados. Nossa equipe é composta de colaboradores experientes em constante aperfeiçoamento, conscientes de que sem clientes não há empresa. O cliente é o nosso chefe e o único que pode demitir todas as pessoas da empresa, do presidente ao faxineiro, simplesmente levando o seu dinheiro para gastar com outro fornecedor.

Como se manter atualizado com o mercado em que atua e até se antecipar às necessidades dos clientes?
Os 33 anos de atuação no fornecimento de temporários e terceirizados e uma diretoria atuante junto às entidades de classe do setor em âmbito nacional e internacional proporcionam à Jobcenter uma ampla visão da atividade empresarial e a melhor forma de conduzir os negócios em total obediência à legislação vigente. Nossa diretoria participa de importantes fóruns de debates e encontros com os RHs das grandes empresas do mercado, buscando sempre novos conhecimentos e contribuindo com relevantes informações que possam ser úteis aos nossos clientes e ao mercado em geral. Com o conhecimento adquirido é possível enxergar necessidades e oportunidades para atender às novas demandas dentro do nosso segmento de atuação.

Quais as expectativas para este ano e as principais estratégias para 2018?
Temos excelentes expectativas para o segundo semestre de 2017 por força das reformas que o atual governo federal pretende aprovar no Congresso Nacional, principalmente no que tange à reforma trabalhista que é importantíssima para promover empregos formais aos trabalhadores, e também à reforma previdenciária que permitirá o equilíbrio das contas públicas e o consequente retorno da confiança do meio empresarial tão necessário para impulsionar a recuperação da economia do país. Acreditando nisso, já temos preparada uma campanha para atrair novos clientes aliada à publicidade institucional que deverá ser intensificada a partir do segundo semestre.

Em seu segmento, que tendências estão se aproximando do horizonte e sobre as quais o RH deve saber?
Acreditamos que a especialização no fornecimento de bens e serviços é uma tendência irreversível e perene. Cada vez mais os mercados procurarão por empresas fornecedoras éticas e por produtos ou serviços de qualidade, e isso somente se consegue com especialização. Nesse sentido, a Jobcenter dedica-se desde 2002 exclusivamente ao fornecimento de temporários e terceirizados, destacando-se no mercado por sua expertise e performance. Além disso, no mundo todo já enxergamos a tendência a uma nova forma de contratação de serviços, isto é, a contratação por projetos, que podem ser de curto, médio ou longo prazo. Apesar de nossa ultrapassada legislação trabalhista, essa tendência também irá nos atingir e, certamente, com a reforma trabalhista, com a evolução do mercado de trabalho e principalmente com a mudança de cultura na Justiça Trabalhista, esse novo modelo poderá contribuir com novos empregos e com uma maior produtividade nas empresas. Para atender a essa tendência, o trabalho temporário e a prestação de serviços especializados serão valiosas ferramentas de auxílio para os departamentos de recursos humanos das empresas.

Compartilhe nas redes sociais!

Enviar por e-mail