Responsabilidade de todos

    0
    134
    Mussak, da Sapiens Sapiens: todas as áreas têm de lidar com gente

    Durante décadas, a gestão de pessoas foi entendida como uma responsabilidade de uma única área: RH. Isso equivale a dizer que ela deveria ser onipresente, ou seja, atuar no desenvolvimento de políticas e na implantação de práticas, e, simultaneamente, na linha de frente, motivando os colaboradores, negociando com eles e resolvendo conflitos, entre outras atribuições. Mas o dia a dia das organizações comprovou que essa visão estava equivocada.

    “Todas as áreas têm de lidar com gente e é aí que acontece o que chamamos de ´a hora da verdade´ na gestão de pessoas. RH não tem essa função, nem mesmo teria condições de estar presente o tempo todo para exercê-la. RH consubstancia todos os gestores para que possam exercer a gestão de pessoas”, assinala o educador e consultor Eugenio Mussak, presidente da Sapiens Sapiens Desenvolvimento Integral. “Estamos inovando ao destinar parte do evento para despertar o mundo corporativo para essa visão”, salienta Mussak, que lidera a equipe responsável pelo eixo Gestores de pessoas.

    Entre as atividades escolhidas pela equipe, a palestra magna A vida como ela é: A realidade de um gestor de pessoas vai reunir profissionais como Luiz Fernando Teixeira Scheliga, diretor de operações da Algar Tecnologia, e Heraldo Conde, gerente administrativo do Grupo Alubar, que vivenciam a gestão de pessoas no seu dia a dia de executivos.

    Caminho crítico
    “A palestra pretende enfatizar a diferença entre a gestão de pessoas e a gestão de ´coisas´. ´Coisas´, nós controlamos, pessoas não. Podemos até ter a ilusão de que o fazemos usando, por exemplo, um relógio de ponto. Mas isso significa que elas estão apenas fisicamente presentes na empresa. Não dá para saber se, junto com o corpo, elas levaram a alma. Nós queremos que as pessoas estejam inteiras no ambiente de trabalho e, embora não seja possível controlar sua mente e suas paixões, podemos liderá-las e motivá-las”, argumenta Mussak.

    A excelência em gestão de pessoas como caminho crítico para o grande executivo também será abordada na palestra de Marlin Kohlrausch, presidente da Calçados Bibi desde 1986 e cuja trajetória de sucesso à frente da empresa combina estratégia, negociação e políticas avançadas na gestão dos colaboradores. Outra participação de destaque é a de Didier Marlier (veja mais na pág. 76 ), sócio-fundador da consultoria The Enablers Network. 

    Também a comunicação será abordada com a palestra Eu me fiz entender? – A comunicação a serviço do gestor de pessoas. “Não consigo imaginar um bom líder que não seja um bom comunicador. Ele tem de saber ouvir e deixar claro o que pensa e sente. Por isso, convidamos o Reinaldo Polito, grande especialista no tema, para falar”, conta Mussak, finalizando: “Todo gestor de pessoas é um líder. Liderança não é cargo, é comportamento. Cargo é gerente,  por exemplo, e deve ser ocupado por pessoas que tenham comportamento de líder, o que nem sempre acontece. A boa notícia é que a liderança pode ser desenvolvida”. (TG)

    SHARE
    Previous articleOrientação garantida
    Next articleSaúde em primeiro lugar
    [fbcomments]