Gestão

Retenção na agenda

Rafael Adamowski
29 de novembro de 2013

Profissionais que desenvolvem trabalhos nos setores de recursos humanos de grandes empresas precisam estar preparados para superar os desafios com a falta de mão de obra e retenção de talentos. Para isso, uma série de atividades precisa ser elaborada. Essas ações muitas vezes envolvem vários outros setores da empresa, em especial com a participação de lideranças. Alguns dos profissionais que assumem estes desafios diariamente relataram suas experiências. Confira:

Desenvolver gestores
“Hoje, os principais desafios enfrentados no setor de RH do GRPCom são a atração e retenção de profissionais e o desenvolvimento de lideranças. Os setores em que são encontradas mais dificuldades em contratar devido à falta de pessoal qualificado são as áreas de TI e áreas específicas do negócio de comunicação, como por exemplo funções técnicas e de operação de TV, rádio e jornais. Em relação a trabalhos internos que são realizados para contribuir com a preparação do colaborador e manter sua motivação, desenvolvemos diversas ações nesse sentido, porém nosso principal trabalho é aperfeiçoar gestores para que façam gestão de pessoas embasadas em meritocracia, utilizando as ferramentas de compensação, competências e clima, fortalecendo a percepção de justiça e aumentando assim o grau de engajamento do colaborador com a organização.”

Maria Heloísa Secco de Matos, diretoria corporativa de gestão de pessoas e coordenadora de consultoria interna no Grupo Paranaense de Comunicação (GRPCom)


 

Transição de gerações
“Embora a Volvo esteja numa posição confortável atualmente, a empresa está constantemente trabalhando no seu futuro: com sustentabilidade, rentabilidade necessária para manutenção dos negócios e novos investimentos e no natural crescimento da organização. Estamos focados fortemente na atualização das atuais lideranças e na preparação dos novos líderes. Ao mesmo tempo, nossa estratégia é desenvolver competências estratégicas para manter a vanguarda que temos na área de soluções para transportes comerciais. Estamos também paralelamente garantindo a transição entre as gerações de executivos e funcionários em processo de aposentadoria, assim como na sucessão para os jovens líderes.”

Hermine Schreiner, diretora de recursos humanos na Pormade


 

Qualificar a liderança
“Motivamos o bom ambiente de trabalho e buscamos novos talentos. Recebemos muitos currículos e temos a postura de valorizar o profissional. A seleção é criteriosa e contratamos o profissional que tenha o perfil da empresa e queira crescer, estudar, que participe de projetos. Vários indicadores são analisados, temos muita vontade de contratar e quem entra tem grandes chances de se sair bem. Realizamos um trabalho que valida as nossas ações, realizamos trabalhos de inclusão digital e cursos na empresa, o que ajuda a contratarmos um profissional já pronto. Após o profissional estar qualificado e já conhecer a cultura da empresa o maior desafio é a retenção. As lideranças também são qualificadas para cuidar das pessoas e reter os talentos.”

Hermine Schreiner, diretora de recursos humanos na Pormade


 

Buscar saídas
“Vários setores apresentam dificuldades em encontrar trabalhadores, mas sempre buscamos saídas. Uma das principais dificuldades é encontrar operador tridimensional, que é específico de nosso segmento. As máquinas funcionam 24 horas por dia, então precisamos manter quatro operadores por máquina, um para cada turno e um para eventual substituição. Para auxiliar no momento da abertura de novas vagas, o gestor dessa área desenvolve pessoas para ter uma substituição rápida. Procuramos ser autossustentáveis com a mão de obra. Trabalhadores para outras funções, como operador de CNC, são preparados na empresa. Temos um departamento de apoio e abrimos inscrições para o curso de formação. Podem participar auxiliares de produção e o curso tem 40 horas. Após a formação, aguardam por novas vagas. Quando um auxiliar de produção é promovido, buscamos outros fora para substituição. Trabalhamos conforme os graus de dificuldade. Em outros setores, como engenharia e TI, também temos problemas. Nesse caso buscamos o recrutamento interno para a promoção de funcionários, entre os que apresentam a formação necessária.”

Gislene Morias, gestora de talentos humanos na Neodent

 

Compartilhe nas redes sociais!

Enviar por e-mail