RHs apontam comportamentos que põem em risco a contratação do candidato

0
478

A Catho divulgou no último dia 03 de junho, uma pesquisa sobre os comportamentos que podem prejudicar a performance do candidato durante um processo seletivo. O levantamento, que foi realizado com 300 profissionais de Recursos Humanos, traz os cinco tópicos mais relevantes para os recrutadores, desde a análise do currículo até o momento da entrevista, passando por aspectos comportamentais, verbais e até vestimenta/aparência.

O aspecto considerado mais prejudicial na hora da entrevista é a falta de interesse e/ou entusiasmo (67%). O candidato também deve ficar extremamente atento a sua argumentação e não cometer alguns deslizes, como ficar disperso durante a entrevista ou perguntar logo de início sobre o salário e os benefícios. “A remuneração é importante, no entanto, antes de fazer este tipo de questionamento o profissional deve mostrar interesse pela oportunidade, empresa e trabalho que será realizado”, observa a gerente de Desenvolvimento da Catho, Angélica Nogueira.

Não olhar nos olhos durante a entrevista é o comportamento que os recrutadores consideram mais negativo no que tange à expressão corporal (85,3%). Má postura (70,1%) e braços cruzados (38,5%) completam o TOP 3 do ranking. No que se refere à expressão verbal, o candidato deve tomar muito cuidado com as gírias, a falta de clareza ao se expressar e aos erros gramaticais, que tiveram respectivamente, 67%, 55,9% e 51,3%.

No que tange à vestimenta e apresentação pessoal, as mulheres devem se preocupar com o comprimento das roupas e maquiagem muito pesada. Para os homens, os aspectos determinados como incorretos pela maioria dos entrevistados são camisetas de time, barba por fazer, seguido de um empate entre roupa informal e excesso de acessórios.

Os recrutadores também foram questionados sobre os itens que eles consideram mais importantes na hora de analisar o currículo: A maioria, 85,6%, considera mais relevante a descrição das experiências anteriores. Seguido de formação acadêmica (56,1%), e objetivo profissional (47,8%).

 

[fbcomments]