Gestão

Segurança levada a sério

Patrícia Sperandio
18 de setembro de 2012

Melhor - Gestão de pessoasProteger de riscos, perigos ou perdas. É assim que a Elektro, uma das maiores distribuidoras de energia elétrica do Brasil, procura cuidar de seus colaboradores. “A segurança é o nosso valor número um”, define a gerente de RH da companhia, Fabrícia Abreu. Responsável por levar energia elétrica a mais de 5,7 milhões de pessoas em 228 municípios dos estados de São Paulo e Mato Grosso do Sul, a empresa expõe boa parte dos seus funcionários, especialmente os eletricistas e o pessoal que atua na manutenção da rede, a situações de risco. Por isso, aposta no treinamento como forma de prevenir acidentes e buscar a excelência operacional. E a preocupação com a formação dos profissionais começa antes mesmo de eles serem contratados. 

Uma das ações neste sentido é o Programa Escola de Eletricistas. Desenvolvido, desde 2009, em conjunto com as comunidades, prefeituras e escolas técnicas, o programa qualifica de forma gratuita cerca de 200 pessoas por ano no setor. “Trata-se de um treinamento proativo que permite à empresa admitir esses profissionais quando surgirem vagas”, explica.

Mas o processo de qualificação da Elektro não para por aí. Segundo Fabrícia, o RH atua em várias frentes para manter seus colaboradores comprometidos e motivados. “Temos um controle rígido das horas extras, oferecemos reciclagens, palestras e equipamentos modernos e seguros aos profissionais”, diz. Outra ação da empresa voltada a prevenir acidentes no ambiente de trabalho é o programa Observação de Segurança, que estimula a identificação de riscos e propõe aperfeiçoamentos, através de formulário impresso ou eletrônico. “Os próprios colaboradores acompanham o comportamento diário de seus colegas e verificam se a atividade está sendo executada de maneira correta”, explica a gerente. 

Para reter e cuidar de seu pessoal, a Elektro também realiza avaliações de desempenho frequentes e mantém a liderança bem preparada. “Por melhores que sejam as práticas construídas pela empresa, se não houver bons gestores para multiplicá-las, elas não valem de nada”, define Fabrícia. Há dois anos, a companhia criou um plano de carreira, que visa garantir que um bom técnico não vire um mau gestor. O nome do programa, Carreira em Y, simboliza uma bifurcação entre as áreas técnicas e administrativas, permitindo que um especialista evolua na carreira sem ter de assumir o papel de gestor de pessoas. “Nesse modelo, com a ajuda do RH, o profissional consegue entender se ele deve seguir para o caminho de gestão, ou se o seu perfil é mais voltado para o de especialista”, explica. Com as ações, a Elektro reduziu o índice de acidentes com afastamento entre 2010 e 2011 em 40% e vem diminuindo ano a ano a rotatividade dos colaboradores, chegando a 10% em 2011. 
 

 

 

 

Compartilhe nas redes sociais!

Enviar por e-mail