Taxa de analfabetismo no País é maior na geração X, aponta pesquisa

Da Redação
11 de setembro de 2017

De acordo com o levantamento inédito, 44% da população que nasceu entre
1968 e 1982 não possui nenhum grau de instrução

O número de pessoas não alfabetizadas no País é maior entre aqueles que nasceram entre 1968 e 1982, a chamada Geração X. É o que aponta uma pesquisa inédita feita pela UnitFour, empresa especializada em fornecimento e consulta de dados. De acordo com o levantamento, 44% da população que nasceu nesse período não possui nenhum grau de instrução.

O estudo, feito com base em 208 milhões de Cadastro de Pessoas Físicas (CPFs) no País e concluído no final de julho, revelou que entre aquelas pessoas que nasceram entre 1983 e 1996, conhecida como Geração Y, esse mesmo índice de analfabetismo é de 16%. O objetivo da pesquisa foi mapear as diferentes gerações existentes no Brasil e um possível retrato do grau de escolaridade de cada uma delas.

Nível de escolaridade

Y

X

Demais

Analfabeto

16%

44%

40%

Ensino Superior

31%

42%

27%

Doutorado

11%

48%

41%

Mestrado

58%

6%

36%

“Nosso estudo levantou as quantidades de pessoas vivas no Brasil classificadas por Gerações”, explica Gabriel Teixeira, sócio-diretor da Unitfour. O levantamento classificou cinco gerações presentes hoje no Brasil, sendo elas a Geração X, a Geração Y, Geração Z, os Baby Boomers e a geração Silenciosa.

Descritivo Identificador

Homens

Mulheres

Nascidos em 1968 a 1982 (35 a 49 anos) Geração X

13%

13%

Nascidos em 1983 a 1996 (21 a 34 anos) Geração Y

12%

12%

Nascidos em 1952 (+ 65 anos) Silenciosa

12%

11%

Nascidos em 1967 a 1953 (50 a 64 anos) Baby Boomers

10%

10%

Nascidos em 1997 a 2002 (15 a 20 anos) Geração Z

3%

3%

Na outra ponta, a Geração X também possui o maior número de pessoas com Ensino Superior, totalizando 42%, contra 31% da Geração Y e 27% das demais gerações somadas. Porém, quando visualizamos o número de pessoas com nível de Mestrado, os que pertencem à Geração Y lideram, com 58%, em comparação com a Geração X (6%) e as demais somadas (36%).

Quando classificado por gênero, o porcentual de analfabetos é majoritariamente formado por pessoas do sexo masculino tanto na Geração X como na Y, com 82% desse público.

Geração Y

M

H

Geração X

M

H

Analfabeto

18%

82%

Analfabeto

18%

82%

Ensino Superior

57%

43%

Ensino Superior

57%

43%

Mestrado

58%

42%

Mestrado

57%

43%

Doutorado

54%

46%

Doutorado

52%

48%

De acordo com Teixeira, a pesquisa destacou com ênfase as gerações X e Y por serem o estrato da população com maior poder da força de trabalho. “Não estamos considerando a geração Z nesta análise, pois a mesma é composta em suma maioria por jovens menores de idade que não possuem faixa de renda definida”, avalia Teixeira

Classe Social e Média Salarial
O levantamento também as gerações e o grau socioeconômico. Em relação às classes sociais, em um comparativo entre três gerações, é perceptível que a Geração X e os Baby Boomers são as com maior presença dentre as classes A e B, conforme gráfico abaixo:

Geração X

Baby Boomers

Silenciosa

A

36%

38%

18%

B

26%

32%

33%

C

36%

25%

19%

D

46%

24%

4%

Não identificado

13%

11%

12%

A geração X tem a maior parcela de integrantes com a renda média de R$ 2.813,00 a 3.137,00. São os Baby Boomers que têm a renda mais alta, ficando nas maiores faixas, de R$ 2.813,00 até acima de R$ 3.137,00. A Silenciosa tem a maior concentração de pessoas com a renda média acima de R$ 3.137,00.

X %

BB %

S %

Faixa 01

31%

16%

17%

Faixa 02

40%

53%

7%

Faixa 03

30,5%

44%

25%

Faixa 01 R$ 937,00 a R$ 2.810,00
Faixa 02 R$2.813,00 a R$ 3.137,00
Faixa 03 Acima de R$ 3.137,00

Compartilhe nas redes sociais!

Enviar por e-mail