Tenha uma expatriação de sucesso

0
659
Expatriação / Crédito: iStockphoto
Crédito: iStockphoto

Passar por um processo de expatriação, nem sempre é uma experiência fácil para profissionais que buscam ou já possuem uma vaga de emprego fora do seu país. O planejamento desse processo deve ser feito com antecedência para que seja seguro e eficiente para aqueles que buscam essa mudança.

Segundo Fátima Kaiser, sócia do departamento de Transferências para o Exterior da EMDOC, consultoria especializada em serviços de mobilidade internacional, “é importante realizar todo o processo com muita atenção. Informações sobre os tipos de vistos, a importância da visita de familiarização dias antes da mudança, a realização de treinamento intercultural e até o transporte de pets para outros países, devem receber atenção”, comenta.

A especialista traz algumas dicas para que esse processo seja feito de maneira correta e eficiente.

Visto – O primeiro passo a seguir antes da expatriação é solicitar o visto, primordial para uma transferência. Por isso, não é recomendado que o profissional compre passagens ou feche contratos de moradia antes de ter a sua aprovação. “Devido à urgência de determinadas empresas, alguns executivos iniciam o trabalho em outro país com o visto de turismo ou de negócios, enquanto o processo de visto de trabalho ainda está em tramitação, o que não é permitido. Se houver fiscalização, o executivo pode ser deportado, a empresa multada e a prisão de seus representantes legais pode ser declarada”, completa Fátima.

Mudança e adaptação – Com o visto em mãos e a transferência regularizada, o próximo passo é pensar nas principais providências: a mudança, o curso de idiomas, inclusive para os familiares, além do cancelamento das contas de consumo e contas bancárias. É importante que o profissional procure se informar sobre o país em que ele irá morar. Identifique como é a cultura, o clima, as pessoas, os tipos de moradia e se a empresa disponibiliza algum budget para que conheça o país antes de mudar.

Converse com o responsável pela expatriação na empresa – Também é importante que o executivo questione a empresa sobre como proceder antes de tomar qualquer decisão. “Algumas companhias pedem para que o executivo leve toda a mudança do Brasil, outras oferecem uma verba para que compre tudo novo quando chegar ao país. Por isso, é importante ter comunicação direta com o responsável pela expatriação na empresa, para que não sejam feitos investimentos desnecessários”, explica Cristina Santos, sócia do departamento de Relocation da EMDOC.

Treinamento Intercultural – Além da familiarização com a cidade, para uma melhor adaptação do brasileiro e sua família no exterior, faça um treinamento intercultural. Este workshop, disponibilizado para que o brasileiro conheça melhor a cultura e a dinâmica do país em que irá morar, tem a duração de um dia e é indicado ao cônjuge e aos filhos maiores de 15 anos. O treinamento visa compartilhar o perfil do estrangeiro e dicas gerais, principalmente sobre como agir em situações sociais e profissionais e, ainda, como conviver com um tipo de cultura diferente.

[fbcomments]