Gestão

Um em cada três brasileiros pretende mudar de emprego nos próximos meses

Divulgação
2 de dezembro de 2014

Um estudo recente realizado pela SurveyMonkey mostrou que 32% dos profissionais brasileiros têm a intenção de se candidatar a uma nova vaga de emprego nos próximos seis meses, deixando as atuais companhias onde trabalham. Dos profissionais pesquisados, 33% não se sentem financeiramente recompensados por seu trabalho.

Considerando a geração Y, a intenção de mudar de empresa é um pouco maior. Entre os profissionais que têm entre 25 e 35 anos, 38% dizem ser muito ou extremamente possível que deixem seus empregos nos próximos seis meses.

A pesquisa, realizada com cerca de 500 profissionais no fim de agosto, mostra que o pacote de benefícios é um fator relevante para a escolha por um emprego. 71% dos entrevistados afirmaram que este item influencia muito ou extremamente na hora de definirem se aceitam ou não uma proposta de trabalho. Atualmente, 27% dos profissionais estão insatisfeitos com seus benefícios e 71% deles consideram que não são reconhecidos com prêmios ou bônus por suas empresas quando realizam um bom trabalho.

“Além de fatores financeiros, a atenção que a empresa dispensa aos funcionários é um tema relevante que pode ajudar a retê-los. Nesta pesquisa, constatamos que 37% dos respondentes consideram que suas empresas têm pouco ou nenhum cuidado por eles. Quase 30% dos brasileiros sentem que são pouco ou nada reconhecidos no trabalho. É uma taxa relativamente alta, que certamente está ligada à vontade deste profissional de buscar um novo emprego, demonstrando que a empresa tem um grande desafio em engajá-lo e retê-lo”, afirma Rodolfo Ohl, country manager da SurveyMonkey no Brasil.

Apenas 19% dos entrevistados afirmam que suas empresas lhes proporcionam oportunidades de desenvolvimento de carreira. 60% dizem que isto é pouco ou nada frequente. 40% dizem que as companhias em que trabalham solicitam com pouca ou nenhuma frequência sua opinião ou informações de decisões que precisam ser tomadas. Além disso, mais de 50% dizem que suas empresas nunca ou raramente pedem feedback sobre as atuais políticas que utilizam e 58% dos profissionais brasileiros se sentem pouco ou nem um pouco animados quando chegam ao trabalho pela manhã.

“É essencial engajar e reter os talentos, já que contratar novos funcionários implica em custos e tempo de recrutamento e treinamento, além do período necessário para atingir um patamar de desempenho compatível com a expectativa da empresa. É uma excelente oportunidade para o setor de RH contribuir de forma estratégica para o negócio”, analisa ainda Rodolfo.

Compartilhe nas redes sociais!

Enviar por e-mail