CONARH

Vagas e a aposta na ciência de dados em R&S

Gumae Carvalho
16 de agosto de 2017

A ciência de dados é o caminho para proporcionar contratações cada vez melhores. É com o objetivo de apresentar as possibilidades que essa prática traz que a Vagas.com, empresa de soluções tecnológicas para recrutamento e seleção, participa do CONARH. A companhia traz aos participantes como os dados podem ser utilizados como base para o recrutamento preditivo, uma nova forma de ajudar as empresas a escolherem bem suas pessoas.

“Estamos engajados em uma nova revolução, em que o uso de análise preditiva sobre a massa de dados acumulada nesses 18 anos irá propiciar contratações melhores e mais rápidas. Estamos apostando no recrutamento preditivo como um novo jeito de aumentar as chances dos recrutadores ficarem frente a frente com profissionais que tenham o perfil ideal para a empresa e suas posições”, explica Mario Kaphan, sócio-fundador da Vagas.com.

Ele conta que a companhia possui uma equipe estruturada e dedicada ao assunto e que está ajudando a aprimorar suas soluções, utilizando o enorme arsenal de informações acumuladas nessas quase duas décadas de atuação da empresa. “Nossa equipe está utilizando todo o potencial da nossa base para trazer ainda mais inteligência ao Vagas e-partner, com o objetivo de antecipar respostas importantes para os profissionais de recrutamento e seleção e, principalmente, apoiá-los no desafio de escolher cada vez melhor as pessoas”, conta Kaphan.

De acordo com Mário, o recrutamento preditivo deve mudar drasticamente a forma de atrair e selecionar um candidato. “São inúmeras as possibilidades que já encontramos e estamos explorando. Por meio do recrutamento preditivo, podemos comunicar automaticamente pessoas que tenham perfil compatível com a vaga e potencial para a posição. Também podemos encontrar pessoas que sejam similares aos colaboradores de melhor desempenho de uma companhia. Outra possibilidade é mostrar a relevância de uma pessoa baseada em experiência em processos seletivos anteriores. E, não menos importante, qualificar currículos automaticamente, usando como base informações de pessoas que já ocupam cargos similares”, explica.

Compartilhe nas redes sociais!

Enviar por e-mail