Carreira e Educação

5 regras para o sucesso do programa de estágio

Confira cinco fatores que são comuns na maioria dos programas de estágio que apresentam melhores resultados

Da Redação
10 de agosto de 2018

É fundamental a concepção que todos da equipe têm sobre a presença do estagiário e até onde estão dispostos a investir tempo, energia, conhecimento e vontade, em favor do melhor desenvolvimento de um jovem sem preparo prático. Essa percepção deve ser resultado de transparente trabalho de conscientização por parte da direção da empresa para toda a estrutura de RH. 

Para que isso aconteça, o RH precisa conduzir o plano de aproveitamento do estagiário, aplicável ao final de seu programa de estágio. Esse plano é elaborado conforme o estagiário avança em seu estágio, demonstrando seus pontos fortes e talento. Construído sinergicamente entre a preparação do estagiário e as demandas nascidas nos setores da empresa, evita o não aproveitamento de muito jovem talentoso.

Existem diversas iniciativas que dão certo e aquelas que não dão, por isso Ruy Leal, superintendente do Instituto Via de Acesso, elencou cinco fatores que são comuns na maioria dos programas de estágio que apresentam melhores resultados:

1 – Vontade da empresa, traduzida pelo empenho que a alta direção adota para implantar a estratégia e a política assumida quanto à participação dos estagiários no cotidiano de sua estrutura.

2 – Gestor treinado, consciente e interessado é fator fundamental para que o estágio seja bem realizado. Gestores nessa condição dão a face do sucesso ao programa de estágio.

3 – O plano de desenvolvimento do estagiário, abordando os fatores técnicos, comportamentais, culturais e sociais, é objeto de atento detalhamento e determinada operação. A existência do plano fortalece o preparo do estagiário, ainda mais tendo ao seu lado um gestor interessado e treinado.

4 – O plano de aproveitamento do estagiário, aplicável ao final de seu programa de estágio, fecha o processo. É um plano elaborado conforme o estagiário avança em seu estágio, demonstrando seus pontos fortes, talento para essa ou aquela função.

5 – RH costurador, cuja função é juntar as pontas, isto é, precisa incumbir-se de atuar no objetivo que a empresa quer alcançar com o programa executado, no desenvolvimento proporcionado ao estagiário, no trabalho de mentoring realizado pelo gestor responsável, e acompanhando o movimento das oportunidades que ocorrem internamente.

Compartilhe nas redes sociais!

Enviar por e-mail