Carreira e Educação

A recolocação no mercado de trabalho

Da Redação
21 de maio de 2019

Segundo informações divulgadas pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), atualmente o desemprego no Brasil atinge 12 milhões de pessoas, sendo que o período médio de espera para o alcance de um novo emprego é de um ano e dois meses.

Além de uma economia incerta, as constantes transformações mercadológicas advindas do avanço tecnológico presente na 4ª revolução industrial também são responsáveis por este fenômeno. Diante deste panorama, é necessário permanecer atento a fim de identificar as oportunidades de recolocação no mercado.

Leia também:

A importância do currículo atualizado

“O ambiente corporativo está cada vez mais exigente. As empresas passaram a diminuir o fluxo de contratações para investir em profissionais multitarefas altamente capacitados. Ou seja, aqueles que seguem em busca de um trabalho tendem a sentir insegurança. Por outro lado, situações como esta pedem calma para conseguir analisar todas as possibilidades e planejamento a fim de estar apto a atingir os objetivos traçados”, afirma Ivan Corrêa, sócio-diretor da Posiciona Educação & Desenvolvimento.

Pensando em incentivar a trajetória de pessoas a procura de um novo cargo, o especialista em desenvolvimento corporativo listou as cinco principais dicas de recolocação no mercado de trabalho.

Crédito: Shutterstock

Defina as prioridades
Para ter sucesso em uma recolocação, é fundamental traçar os objetivos de carreira a fim de definir as prioridades profissionais e, consequentemente, facilitar o processo de concentrar os esforços em oportunidades adequadas ao perfil do trabalhador. Neste caso, o ideal é refletir sobre a trajetória individual com o intuito de avaliar conquistas, pontos negativos e aprendizagens.

Seja atrativo
O currículo é a porta de entrada para as organizações. Neste contexto, excelentes profissionais são descartados no processo de recrutamento por apresentarem um conteúdo em desacordo com a oportunidade de emprego.

Na prática, o material deve ter um design clean com, no máximo, duas páginas que destacam as experiências mais relevantes para a posição a ser aplicada. Outra sugestão que faz a diferença nesta ação é utilizar palavras-chave capazes de remeterem a vaga. Por fim, é importante atentar-se aos erros gramaticais que podem comprometer a imagem do candidato.

Alimente um bom networking
Muitas vezes os profissionais sentem-se envergonhados em assumir aos amigos e conhecidos que estão em busca de uma nova colocação no mercado de trabalho. Contudo, é justamente esta iniciativa que pode render-lhes as primeiras oportunidades. Logo, é imprescindível alimentar uma rede de relacionamentos por meio de telefonemas e encontros descontraídos com pessoas inseridas em ambientes de interesse do profissional.

Atualize-se
A habilidade de aprendizagem contínua é uma exigência para qualquer pessoa (com emprego ou não), pois é um meio de continuar em alinhamento com as últimas novidades do mercado. Neste sentido, é possível usar o tempo livre para dedicar-se a participação em workshops, cursos, palestras e eventos da área de interesse. No final das contas, o comportamento demonstra que mesmo sem um emprego formal o profissional tem dedicação e está disposto a abrir-se ao aprendizado.

Abra a mente
Os serviços fixos nem sempre são tão fáceis de encontrar. Por esta razão, é imprescindível abrir a mente para saídas alternativas como é o caso das vagas temporárias.

Antigamente, esta espécie de emprego era de exclusividade dos períodos sazonais. Mas, hoje em dia acontecem com maior frequência devido aos projetos pontuais das empresas. Entre os benefícios deste trabalho encontram-se: possibilidade de contratação, oportunidades futuras, ampliação de networking e impulsionamento do portfólio.

Compartilhe nas redes sociais!

Enviar por e-mail