Gestão

Cultura ágil no processo de recrutar

Lacuna entre aprendizado acadêmico e dia a dia da empresa pode ser estratégico para as empresas

Da Redação
27 de julho de 2018

A figura do estagiário é, muitas vezes, ligada a atividades simples, corriqueiras, de apoio e burocráticas. Em empresas com modelos de trabalho mais tradicionais, autonomia não é palavra de associação à função.

Constantes transformações e quebra de paradigmas nos formatos de emprego, o mercado de trabalho tem reconhecido e aplicado novas metodologias principalmente no processo de recrutamento e seleção, considerado uma importante etapa estratégica da área de recursos humanos.

Contratados do Programa Impulse

Para evitar o entra e saia com alta frequência, e para que as organizações encontrem um talento que tenha total interesse e identificação pela empresa, por exemplo, os RHs têm repensado em caminhos que são mais assertivos no recrutamento e seleção, como o caso do Programa Impulse, da empresa Digix.

O programa de recrutamento começa com um processo de seleção com o objetivo de atrair estudantes universitários. Depois, os acadêmicos pré-selecionados passam por um hackathon, onde os seis vencedores terão uma importante missão de exclusiva responsabilidade: escolher um projeto para o qual vão desenvolver uma solução dentro da empresa. “Eles partem para a etapa que tenta entender qual é a dor mais latente daquele problema na visão do cliente. A partir daí eles começam a priorizar e quebrar em tarefas as atividades para efetivamente dar início ao desenvolvimento daquela necessidade”, explica Jorge Silva, um dos mentores dos estagiários.

A ideia do Programa Impulse, segundo Aline Graziele de Jesus, analista de RH na Digix, nasce quando percebem uma lacuna entre entre o aprendizado na universidade e o dia a dia das empresas. “Ao perceber essa necessidade, identificamos uma oportunidade de preparar os acadêmicos de acordo com as necessidades do mercado. Acreditamos que com essa iniciativa, apoiaremos no desenvolvimento das Hard Skills e Soft Skills dos participantes, que após o programa, estarão mais preparados para as oportunidades do mercado de trabalho”, comenta Aline.

Diante de um mercado competitivo e de constantes transformações, a empresa promove um modelo no processo de recrutamento e seleção de candidatos estagiários por meio de cultura ágil, visando mais do que atrair, mas sim manter um grande talento. Segundo Aline, a empresa acredita que o projeto de recrutamento e seleção deve ser realizado em conjunto com a área solicitante. “Quando incluímos a área no processo de seleção, aumentamos o comprometimento da equipe na ambientação do novo colaborador. Todos passam a ser responsáveis pelo sucesso do novo membro. Esse processo colabora para o aumento da qualidade dos nossos processos de seleção”, comenta.

O Programa Impulse, acelerador de carreira na Digix, teve sua primeira turma em julho deste ano e contou com um hackaton – em uma de suas etapas –  e mais de 30 participantes em 13 horas de duração.

Compartilhe nas redes sociais!

Enviar por e-mail