Gestão

Quando mudar o mindset

Se o mindset atual é percebido como limitador das opções, o cérebro aceita uma “DR” e começa a ouvir outras vozes a não ser as suas próprias

Da Redação
5 de dezembro de 2018

O modelo mental do líder reflete como será sua gestão. Dificilmente um líder que atua em um modelo atual de troca
de confiança entre o colaborador e o influenciador terá uma equipe que não deseja ter resultados para a sua empresa. o líder que não muda e permanece com o seu mindset congelado não constrói novos elementos e pode acabar sendo
engolido em seu processo.

Roberto Aylmer, professor
da fundação dom Cabral (fdC) e
consultor em gestão de pessoas e
negociações complexas/ Foto: Divulgação

Para Roberto Aylmer, professor da Fundação Dom Cabral (FDC) e consultor em gestão de pessoas e negociações complexas, o desafio de enxergar a gestão hoje é muito grande, pois até alguns anos atrás o líder pensava em uma formação muito verticalizada, as áreas não podiam se comunicar entrar si, tudo era muito separado. “Essa dinâmica já se esgotou e não traz mais o resultado de 10 anos atrás”, afirma o professor.

As pessoas mudam quando precisam e não quando desejam. “O mundo muda com ou apesar de você. os líderes que fracassaram foram por falta de humildade e não de inteligência, pois é a humildade que mantém o líder ouvindo e aprendendo os sinais dos tempos. o mesmo modelo que trouxe sucesso no passado faz com que o líder não enxergue uma nova forma de agir e decidir no futuro”, diz.

Por isso, a necessidade na mudança do mindset. Para Aylmer, é preciso tornar as áreas cada vez mais participativas e assim gerar uma nova visão na equipe. mas, para tanto, as empresas precisam enxergar a necessidade de mobilização dos times. “A primeira fase da conversa é o diagnóstico, seguido da ação. sem o diagnóstico claro, não há nenhum
caminho de mudança eficaz”, diz ele. “a ideia é reunir o máximo de informações que conseguimos sobre a equipe, por meio de questionários gerais, entrevistas individuais e até dinâmicas realizadas com blocos de montar. Com esse 3d organizacional, conseguimos mostrar as fraquezas da equipe para o nível mais alto da empresa e a partir daí gerar uma estratégia de mudança.”

Crédito: Freepik

Se o mindset atual é percebido como limitador das opções, o cérebro aceita uma “DR” e começa a ouvir outras vozes a não ser as suas próprias. “Usando uma frase de Jack Welch, ‘se a taxa de mudança interna for menor que a taxa de mudança externa, o fim está próximo’”, avalia Aylmer, que considera que a taxa de mudança interna, ou seja, a taxa de mudança do mindset, é a próxima fronteira de pesquisa e ação.

*Conteúdo publicado da edição de setembro/2018, da Revista Melhor Gestão de Pessoas.

Compartilhe nas redes sociais!

Enviar por e-mail