Artigo

Responsabilidade Social: bom para todos, inclusive seus colaboradores

Em períodos de crise, os investimentos em ações sociais, arte e cultura são os primeiros a sofrerem cortes

Da Redação
22 de outubro de 2018

Antoine Kolokathis / Créditos: Gilberto dos Santos Jr.

Por Antoine Kolokathis, produtor e consultor cultural, especialista em leis de incentivo, fundador da Direção Cultura

Com um cenário turbulento na política, na economia, entre outras esferas do cotidiano, é cada vez maior o desafio de manter um clima positivo dentro das empresas.

Em períodos de crise, os investimentos em ações sociais, arte e cultura são os primeiros a sofrerem cortes. Mas nem sempre. Aos poucos, muitas empresas vêm confirmando na prática que adotar continuamente ações de responsabilidade social é vantajoso para todos. Veja 4 exemplos:

Melhor relação com a comunidade do entorno

As empresas precisam dialogar positivamente com os moradores da região onde atuam. Se a empresa não é bem vista nem mesmo no seu bairro ou na sua comunidade, como querer ser admirada pelos clientes? Com o uso adequado de leis de incentivo, é possível desenvolver projetos específicos em determinadas cidades, bairros e regiões. Na nossa prática, temos como exemplos os projetos Oficinas Culturais, Curtas de Animação, Oficinas de Música Caipira e Rede de Núcleos, que levam o ensino de diversas modalidades artísticas e esportivas gratuitamente a comunidades de baixa renda.

Mais envolvimento com os colaboradores e seus familiares

Os projetos culturais ou esportivos desenvolvidos através das leis de incentivo sempre devem ser abertos ao público em geral. Mas, com um planejamento e orientação adequados, é possível criar atividades que, ao mesmo tempo, possam ser frequentadas por colaboradores e seus familiares.

Crédito: Freepik

Diferencial para atrair e reter talentos

Bons profissionais, especialmente da nova geração, buscam empresas com as quais se identifiquem. Querem trabalhar em organizações pelas quais sintam orgulho e admiração. Empresas que têm cultura de ações de responsabilidade, que mostram preocupação com o meio ambiente e práticas inclusivas estão entre as preferidas. Assim como a empresa que não tem um propósito está com os dias contados, aquelas que não incorporarem as práticas da responsabilidade social terão grandes dificuldades em atrair e reter talentos, especialmente os da geração Millennials.

Melhora do clima organizacional

A implantação de programas estruturados de voluntariado corporativo tem o objetivo principal de apoiar e incentivar a prática do trabalho voluntário entre os colaboradores. Além do benefício do serviço voluntário, é um caminho que naturalmente ajuda o funcionário a vestir a camisa da empresa. Projetos culturais como a Associação Griots – Os Contadores de Histórias, que capacitam voluntários para contar histórias a crianças hospitalizadas e idosos em abrigos, podem ser uma parceria interessante para os primeiros passos.

A lista de exemplos poderia ser bem mais extensa, porém o fato é que a implantação de projetos culturais, esportivos e de responsabilidade social, com ou sem utilização de leis de incentivo, está ao alcance de todas as empresas. Ainda pairam muitas dúvidas, mitos e confusões em torno do assunto, mas também existem profissionais e consultores experientes e confiáveis com os quais você pode obter orientação.

Compartilhe nas redes sociais!

Enviar por e-mail