Gestão

Trabalhar em casa proporciona aos pais mais tempo em família

Atividade freelance cresceu 80% em 2017 e que cerca de 40% dos usuários têm filhos

Da Redação
2 de agosto de 2018

Trabalhar de casa costuma ser uma opção vantajosa para pais profissionais que, no Brasil, têm poucos dias de licença paternidade – em sua maioria – e buscam uma boa alternativa para ficar mais tempo com a família, sendo uma delas iniciar uma atividade como freelancer, que cresceu 80% em 2017 e 40% dos freelancers cadastrados no Brasil têm filhos, segundo dados da Workana.

Segundo o levantamento da Workana, 10% dos pais contam com ajuda externa para cuidar dos filhos. Os demais cuidam por conta própria ou com a ajuda de seu cônjuge. Dentro desse parâmetro, de 40% dos pais freelancers, 85% são full-time.

“Cada vez mais temos pais que sentem a necessidade de cuidar dos filhos e dividir igualmente as tarefas com a mulher. Isso se alia à busca dos profissionais pela harmonia entre vida profissional e pessoal e tem um efeito muito positivo, já que um pai que participa mais em casa proporciona mais liberdade para que a mãe também siga com sua carreira profissional”, aponta Guillermo Bracciaforte, cofundador da Workana.

A atividade proporciona mais flexibilidade para que os pais possam estar focados nas duas importâncias: carreira e cuidado e crescimento dos filhos. Mas, os profissionais de carteira assinada, nos últimos tiveram razões para comemorar este aspecto, pois a modalidade de home office, trabalho em casa, também permitiu a eles e elas esta possibilidade de estar executando suas tarefas em casa e estar perto dos filhos.

A prática, que deve se popularizar nos próximos anos e virar tendência em muitas empresas, traz vantagens também às empresas, uma vez que elas reduzem custos com o funcionário quanto ao transporte e alimentação, quando este está no escritório da empresa. Uma pesquisa realizada pelo espaço de coworking Spaces em junho de 2017 revelou que 55% dos entrevistados no Brasil utilizam o modelo pelo menos uma vez por semana.

Compartilhe nas redes sociais!

Enviar por e-mail