Gestão

Treinamentos online diminuem índice de rotatividade de colaboradores

Da Redação
18 de janeiro de 2019

Antes restrito no departamento de Recursos Humanos, o termo “turnover” (rotatividade de colaboradores) virou assunto estratégico. Além das despesas em criar novos processos seletivos e times descompassados, as empresas encaram o desafio da baixa retenção de talentos.

Segundo uma pesquisa feita pela My Employees, 30% dos colaboradores acreditam que trabalharão em outros locais futuramente; 60% não acham que seus objetivos estejam alinhados com planos de carreira da companhia. Para diminuir o índice, gestores podem investir em seus colaboradores e oferecer treinamentos.

Leia também:

Como convencer um líder a investir em treinamentos?

Crédito: Freepik

Apesar de comum, houve uma queda no treinamento formal, mas o e-learning se manteve como tendência, segundo a pesquisa Panorama do Treinamento no Brasil. Para Rafael Carvalho, CEO da Edools, plataforma de ensino a distância para empresas e profissionais, os treinamentos online são benéficos para o negócio e para colaboradores. “Por estar alinhado com os avanços tecnológicos, o modelo EAD abate custos, oferece conteúdos personalizados, relatórios mais completos e recursos exclusivos. Tudo isso com mais agilidade”, argumenta o empreendedor.

Tais diferenciais do treinamento online são mais assertivos na defasagem e no aprendizado dos funcionários. A possibilidade de customização permite que o curso seja feito de acordo com as prioridades da empresa e com o perfil dos colaboradores. Com base nessas variáveis, os conteúdos podem ser trabalhados em diversos formatos, desde slides, vídeos e até chats com especialistas.

Além da capacitação e da melhora nos resultados, os treinamentos engajam os colaboradores. O profissional vê que a organização oferece apoio para suas dificuldades e se sente valorizado. A cultura empresarial se torna prática e, o colaborador se alinha cada vez mais com esses propósitos.

“Com estratégias racionais e resultados humanizados, a empresa consegue reter talentos e ser atrativa para candidatos”, conclui Rafael. Quando a taxa de turnover está baixa e a retenção é eficiente, os colaboradores se transformam em um diferencial competitivo. Assim, os objetivos ficam cada vez mais palpáveis e o sucesso organizacional se consolida.

Compartilhe nas redes sociais!

Enviar por e-mail